Malafaia denuncia fake news do grupo Globo contra a igreja

Um dia após uma matéria na revista Época denunciar uma possível aglomeração em um culto com o pastor Silas Malafaia em Curitiba, o líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo desmascarou em vídeo o que chamou de fake news.



O pastor diz que o autor da matéria foi à igreja e tirou uma foto de um ângulo que parece não haver distanciamento entre os fiéis. Ele ampliou a foto e comprovou que há espaços de até quatro cadeiras vazias e que as pessoas que estão sentadas lado a lado são da mesma família, conforme autoriza o decreto municipal sobre a realização de eventos na capital paranaense.



Malafaia disse ainda que a igreja tem capacidade para 3.400 pessoas, mas que no culto foram disponibilizados apenas 1.200 lugares. Além disso, só entraram fiéis de máscara, que passaram pelo medidor de temperatura e higienizaram as mãos com álcool em gel.



Para Malafaia a matéria é mais uma prova do “preconceito do grupo Globo contra os evangélicos”.



“Um canalha da Revista Época vem aqui e tira uma foto quando o povo está em pé para dar uma ideia de aglomeração. Se você puxar a foto, você verá que há espaço”, disse o pastor exibindo a foto da matéria e uma foto em que os fiéis estão sentados, comprovando o distanciamento.



“Isso é para provar como se faz um jornalismo que produz fake news. A maldade e a safadeza contra a igreja evangélica”, completou.



O culto foi denunciado e a polícia foi até a igreja onde constatou que havia assentos desmarcados e todos usavam máscara, segundo boletim de ocorrência disponibilizado no site do governo do Paraná e exibido pelo pastor.



“Vejam como uma fake news do grupo Globo movimenta o Ministério Público, esta instituição tão importante. Promotor com tanta coisa para fazer manda uma intimação para mim e eu tenho que contratar advogado por uma notícia vagabunda, mentirosa, bandida de um jornalista inescrupuloso”, desabafou.



Malafaia também fez duras críticas ao ex-governador e ex-senador Roberto Requião que havia usado as redes sociais contra ele.



“Seu bobalhão preconceituoso, falando asneiras”, disparou.



O pastor lamentou ainda o fato de não haver fiscalização em Curitiba em lojas, aeroporto, transportes públicos e outros espaços onde, segundo ele, não há distanciamento social.



Lockdown no Paraná 



O lockdown determinado pelo governador Ratinho Junior (PSD) passou a valer à meia-noite deste sábado (27) e dura até o dia 8 de março.



A lista de lugares liberados inclui os mercados, farmácias, panificadoras, mercearias e postos de combustíveis. Ou seja, esses lugares seguem funcionando normalmente com as medidas necessárias (uso de máscara, disponibilidade de álcool gel, distanciamento social e controle no número de pessoas).



O decreto do governo diz que, neste período, “ as atividades religiosas estão proibidas, com exceção de atendimentos individuais e cultos de forma online”.