Ronaldinho lamenta a morte da mãe, vítima da Covid-19

Nesta terça-feira (23), o ex-jogador Ronaldinho Gaúcho se manifestou pela primeira vez sobre a morte da mãe, Miguelina Elói Assis dos Santos, de 71 anos. Dona Miguelina faleceu no último sábado (20), após dois meses internada batalhando contra a Covid-19.

Em uma publicação no Instagram, o ex-atleta da seleção brasileira agradeceu o apoio recebido pelos fãs e disse que a mãe foi uma inspiração:

"Eu e minha família agradecemos a todos vocês o carinho e apoio que estamos recebendo nesse momento tão difícil. Minha mãe foi inspiração de força e alegria para todos que a conheceram e vai continuar exercendo sua luz em nossas vidas para sempre. Com a garra que ela nos ensinou, vamos continuar nossa caminhada. Obrigado" – escreveu Ronaldinho.

O corpo de Dona Miguelina foi sepultado no domingo (21), no Cemitério Jardim da Paz, em Porto Alegre/RS. A irmã de Ronaldinho confirmou que o irmão não participou do velório por estar muito abalado.

Homenagem em vida

Na sua passagem pelo Atlético MG em 2012, último grande momento do craque, Ronaldinho quebrou a tradição de usar o número 10 e vestiu a camisa 49, em homenagem ao ano de nascimento de Dona Miguelina, 1949.