Vereador de MG pede prisão de Ciro Gomes e Marcelo Freixo por crime de ódio contra Bolsonaro

O vereador de Belo Horizonte Nikolas Ferreira (PRTB-MG) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a prisão em flagrante do ex-ministro e candidato a presidência da república Ciro Gomes (PDT) e do deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ).

De acordo com Nikolas, Ciro e Freixo cometeram crime de ódio “por incitar a violência contra o presidente” Jair Bolsonaro e, portanto, deveriam receber as mesmas sanções que o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), preso em flagrante após determinação do ministro do STF Alexandre de Moraes, na semana passada.

O vereador aponta uma declaração de Ciro Gomes, em um vídeo, na qual diz: “se ele [Bolsonaro] tentar um golpe no futuro ou a qualquer momento, nós daremos a ele o destino que teve Mussolini”. O líder fascista italiano Benito Mussolini foi executado e teve o corpo exposto em praça pública na década de 1940.

Já a denúncia contra Freixo faz referência a uma publicação do parlamentar no Twitter, na qual chama o presidente Jair Bolsonaro de “genocida” na gestão da pandemia e diz que “é impeachment ou morte”. Freixo se defendeu, posteriormente, dizendo que se referia às mortes provocadas pela Covid-19: “ou fazemos o impeachment de Bolsonaro ou mais brasileiros morrerão”, afirmou o psolista.

O vereador Nikolas Ferreira acredita que as falas se enquadram na Lei de Segurança Nacional e que, portanto, o STF deveria agir:

"O meu papel aqui, como fiscalizador da lei, é simplesmente pedir isonomia, igualdade, para que de fato, da mesma maneira como há uma decisão do Supremo Tribunal Federal contra Daniel Silveira, também o entendimento seja estendido para os demais parlamentares."