Igreja “progressista” é criticada após dizer que a Bíblia não é a palavra de Deus

Uma igreja autodenominada “progressista” em Nashville, nos Estados Unidos, gerou muitas críticas após compartilhar uma mensagem nas redes sociais na qual afirma que a Bíblia não é “a palavra de Deus, infalível”.

A afirmação foi publicada nas redes sociais da igreja GracePoint, liderada pelo pastor Josh Scott, e dizia:

“Como cristãos progressistas, nós estamos abertos a tensões e inconsistências na Bíblia. Nós sabemos que ela não é totalmente adequada aos padrões modernos. Nós queremos articular mais claramente o que a Escritura é e não é. A Bíblia não é: a palavra de Deus, autointerpretativa, um livro de ciências, um livro de respostas e regras, inerrante, infalível. Em vez disso, é: um produto da comunidade, uma biblioteca de textos, multivocal, uma resposta humana à Deus, viva e dinâmica”.

As reações negativas foram instantâneas. Um dos usuários respondeu:

“Em diversas ocasiões, Jesus chamou [a Bíblia] de “a palavra de Deus” e disse que ela não poderia ser quebrada. De acordo com esse ‘pastor’ e essa ‘igreja’, Jesus estava errado. Vamos ver, eu deveria acreditar em Jesus ou nestes dizendo que ele mentiu? Jesus vence sempre!”

Após a repercussão, o pastor Josh Scott veio a público defender que “essa conversa precisa acontecer”. De acordo com ele, “nós temos a tendência de tratar a Bíblia quase como um ídolo” e isso impede que façamos uma leitura crítica e adaptemos o que lemos às nossas vidas no mundo. “Na realidade, essas conversas são importantes, então eu acho que é algo sobre o qual nós precisamos falar”, finalizou o pastor Josh.

Em um outro comentário, mais um usuário reprovou essa nova forma de ensinar, a qual chamou de “rebelião”:

O problema real aqui é que o ensinamento não é sobre como Deus nos deu a Bíblia como um manual de instruções para nossas vidas, mas o ensinamento é uma rebelião aberta contra as leis de Deus. Esse tipo de ensinamento torna aceitável fazer o que você bem entender porque estaria tudo bem com Deus contanto que você ‘faça em nome do amor’”.

Na publicação da igreja GracePoint no Facebook, quase 90% das reações desaprovavam a mensagem, com a maioria dos usuários reagindo com emojis de raiva, seguido de emojis rindo da situação e emojis tristes.


Siga-nos