Suspeito de afogar e matar cão é preso em Copacabana

Um homem foi preso na quinta-feira (18) por suspeita de matar o próprio cachorro afogado na Praia de Copacabana, na Zona Sul do Rio. Testemunhas disseram à polícia que Zali Grilo Neiva, de 45 anos, estava com uma mulher e um cachorro na areia e estava forçando o animal a entrar no mar.

Banhistas contaram que o animal, da raça buldogue francês, tentou resistir, mas Zali levou o cão para o fundo do mar. Na volta, o cachorro não estava mais respirando, segundo a tenente Freitas, que atendeu a ocorrência.

Os banhistas chamaram a Guarda Municipal. Policiais do programa Rio + Seguro também foram acionados. O dono do cachorro foi preso por maus tratos e levado para a 12ªDP (Copacabana).

Outro afogamento de cão

Em outro ponto da cidade, na Praia da Macumba, na Zona Oeste, uma mulher foi presa por suspeita de tentar afogar uma cadela. Um banhista que estava na praia percebeu os maus tratos ao animal e chamou os policiais, que foram até o mar e resgataram a cachorrinha, que é filhote. A mulher foi presa em flagrante e conduzida para a 16ªDP (Barra da Tijuca). Na delegacia, uma policial civil se comoveu com o ocorrido e adotou a cadelinha.

Denúncia

Desde agosto de 2020, a Prefeitura do Rio passou a multar com valores que variam entre R$ 500 e R$ 40 mil, pessoas que cometerem maus-tratos contra animais domésticos. A população pode fazer as denúncias por meio da Central de Atendimento 1746, aplicativo móvel ou pelo portal www.1746.rio.


Siga-nos