Estudo controlado vai infectar voluntários propositalmente com o coronavírus no Reino Unido

A Autoridade de Pesquisa em Saúde do Reino Unido (HRA) autorizou a realização de um estudo que vai infectar propositalmente voluntários jovens com o coronavírus para buscar respostas que ajudem no desenvolvimento de tratamentos e novas vacinas contra a Covid-19.

Ao todo, 90 jovens saudáveis serão infectados com uma versão do Sars-cov-2 anterior ao surgimento das novas variantes. O vírus é o mesmo que circulou durante o ano de 2020 e tem potencial de gerar a Covid-19. Por isso, os voluntários não podem fazer parte de nenhum grupo de risco, terão entre 18 e 30 anos, e serão mantidos em um ambiente seguro e controlado.

O objetivo desse “estudo de desafio humano” é avançar no entendimento sobre como o coronavírus afeta as pessoas. Assim, os cientistas acreditam que a pesquisa terá um “papel fundamental no desenvolvimento de vacinas e tratamentos eficazes contra a Covid-19”. Além de tratamentos, os pesquisadores querem saber qual a carga viral mínima necessária para causar infecção, além de entender melhor a resposta imunológica e a transmissão.

Em uma segunda etapa do estudo, alguns voluntários receberão diferentes versões de vacinas em desenvolvimento, antes de serem expostos ao vírus e novas variantes. O objetivo é identificar as candidatas mais promissoras e acelerar seu desenvolvimento.

Além da motivação coletiva e cívica, os voluntários também estão atrás da compensação de 4,5 mil libras esterlinas – cerca de R$ 33 mil. Eles serão monitorados 24 horas por dia e realizarão exames de sangue e testes PCR diariamente. Se desenvolverem sintomas, serão tratados imediatamente. Após a alta, os voluntários serão acompanhados por mais de um ano para que sejam avaliados possíveis efeitos da Covid a longo prazo.


Siga-nos