Mesmo com registro de variante do coronavírus, estado do Rio não terá lockdown

Novas variantes do coronavírus já estão circulando no estado do Rio de Janeiro e, para esclarecer a população e orientar sobre cuidados e riscos, a Secretaria de Estado de Saúde organizou hoje uma entrevista coletiva sobre o tema.

Até o momento, foram notificados quatro casos da variante brasileira, identificada primeiro em Manaus, e outro da variante britânica do novo coronavírus no estado.//Segundo os especialistas, a variante brasileira pode ser mais transmissível, mas não há confirmação de que seja mais letal.

Segundo o superintendente de Vigilância Epidemiológica e Ambiental, Mario Sérgio Ribeiro, um dos três casos registrados na capital fluminense é de um dos pacientes vindos de Manaus que está internado no Rio. Outros dois casos foram identificados, um em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, e um em Petrópolis, na região serrana. “Não é possível dizer, neste momento, se são casos importados ou autóctones [transmissão local]”.

O secretário estadual de Saúde, Carlos Alberto Chaves, descartou a adoção no momento de um lockdown (bloqueio) das atividades como medida para conter a transmissão dessas novas variantes. De acordo com Chaves, será feito o acompanhamento diário dos casos com a vigilância epidemiológica.

Chaves e o secretário municipal de Saúde do Rio, Daniel Soranz, disseram que não haverá antecipação da segunda dose da vacina contra a covid-19 para os que já receberam a primeira dose, pois estão seguindo o Plano Nacional de Imunização.

A campanha para aplicação da primeira dose da vacina contra a covid-19 na capital fluminense foi suspensa nesta quarta-feira por causa da falta de imunizantes na cidade. Ainda não há uma data prevista para chegada de imunizantes para aplicação da primeira dose.

Os técnicos em saúde reforçaram a importância do respeito às medidas preventivas não farmacológicas, como distanciamento social, uso de máscara e higienização das mãos com álcool em gel ou sabão.


Siga-nos