Bolsonaro diz que Anvisa vai avaliar medicamento spray contra a Covid-19 produzido em Israel

O presidente Jair Bolsonaro voltou a afirmar nesta segunda-feira (15) que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) vai avaliar um medicamento em spray, produzido em Israel, que se mostrou promissor no combate à Covid-19.

O presidente brasileiro publicou a informação em sua rede social, onde também compartilhou uma publicação do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, que anunciou um acordo de cooperação entre o país e o Brasil no combate ao coronavírus:

“Falei ontem por telefone com o presidente brasileiro Jair Bolsonaro, que nos parabenizou pelo sucesso da campanha de vacinação em Israel. Concordamos em cooperar no desenvolvimento de medicamentos e vacinas contra o coronavírus. Espero que nos encontremos em breve!” – escreveu o premiê israelense.

O medicamento EXO-CD24 é testado pelo Centro Médico Ichilov, de Tel Aviv. Nos ensaios de fase 1, a droga foi administrada para 30 pacientes de Covid-19 moderada a grave, dos quais 29 foram curados. De acordo com o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi) o spray atua no combate à tempestade de citocinas, apontada como principal causa de morte pelo coronavírus:

“O medicamento combate a tempestade de citocinas, que se acredita ser responsável por muitas das mortes associadas à doença. Ele usa exossomos – pequenos sacos que transportam materiais entre as células – para entregar uma proteína chamada CD24 aos pulmões, que o grupo de estudo está pesquisando há décadas. Esta proteína ajuda a acalmar o sistema imunológico e conter a tempestade” – diz o texto do Inpi.

O medicamento ainda precisa passar por testes de fase 3, quando são analisadas sua eficácia e segurança em um grande grupo de voluntários, comparado a um grupo controle, que normalmente recebe placebo. Segundo Bolsonaro, a Anvisa vai avaliar se autoriza testes da droga no Brasil. 


Siga-nos