YouTube censura site pró-vida sob alegação de YouTube baniu o site LifeSiteNews de sua popular plataforma de compartilhamento de vídeos e removeu todos os seus conteúdos pró-vida. O LifeSiteNews relatou a decisão YouTube na quarta-feira (10) em seu site, revelando que eles perderam o acesso a mais de 300 mil seguidores de seu canal. 

"O YouTube removeu completamente o canal LifeSiteNews no YouTube. Este não é um banimento temporário; cada um de nossos vídeos foi embora completamente", escreveu a equipe do site. "Felizmente, temos backups de todos os nossos conteúdos, mas isso significa que centenas de milhares de pessoas perderam o acesso aos nossos vídeos reveladores."

O breve artigo também direciona os seguidores ao Rumble , uma plataforma cristão conservadora, para assistir aos vídeos da LifeSite lá. 

O LifeSite disse ao site cristão norte-americano CBN News: "Temos enfrentado uma censura crescente do YouTube nos últimos três meses. Eles sinalizaram vários de nossos vídeos factuais sobre a vacina contra a Covid-19 como violações de seus Termos de Serviço. Como resultado, recebemos dois avisos e suspensão por várias semanas. Fomos informados na época que, se outra violação ocorresse em 90 dias, seríamos removidos permanentemente. " 

Em novembro, o YouTube suspendeu o canal LifeSiteNews por uma semana depois que alegações de "desinformação médica" foram feitas contra um vídeo com comentários de um médico, de acordo com o The Blaze.

Mais tarde naquele mesmo mês, o YouTube suspendeu o site por causa de um vídeo intitulado "Tradições católicas do Natal para incutir fé em seus filhos". O vídeo também foi marcado com um selo de "desinformação médica" antes que o YouTube removesse o vídeo. 

Um porta-voz do Google, a empresa dona do YouTube, disse ao The Blaze que o canal LifeSiteNews foi fechado por repetidas violações da política de desinformação sobre a Covid-19 da empresa. Qualquer conteúdo que promova métodos de prevenção que difira das informações fornecidas pelas autoridades de saúde locais ou pela OMS é proibido. 

"Qualquer canal que violar nossa política de desinformação Covid-19 receberá um aviso, que restringe temporariamente o envio ou transmissão ao vivo. Os canais que receberem três avisos no mesmo período de 90 dias serão removidos permanentemente do YouTube", disse o porta-voz. 

Em uma declaração ao CBN News, a diretora de marketing da LifeSite, Rebekah Roberts, disse: "A verdade é que já estávamos prevendo isso há algum tempo. O YouTube e outros titãs da tecnologia simplesmente não estão interessados ​​em permitir que alguém discorde de seu liberal aprovado pelo estado, ideologia totalitária. Felizmente, já tomamos medidas preventivas para garantir que a verdade continue a chegar aos ouvidos daqueles que mais precisam dela nestes tempos ditatoriais. Estamos ativos em várias outras plataformas, como Gab, Telegram e Rumble e incentive outros a se juntarem a nós lá. "