Pandemia derruba taxa de natalidade no Rio de Janeiro

Um levantamento feito pela Associação Nacional dos Registradores Naturais do Brasil (Arpen) revelou que a taxa de natalidade do Rio de Janeiro caiu quase 20% durante a pandemia da Covid-19. A queda é superior à média brasileira, que foi de 15%.

De acordo com dados de 172 cartórios de registro civil, foram registrados 14.659 nascimentos em todo o estado do Rio no mês de janeiro de 2021. Em janeiro de 2020, haviam sido registrados 18.185. Na linha do tempo, janeiro é o primeiro mês a ser impactado pela pandemia, já que as primeiras medidas restritivas contra o coronavírus se iniciaram em março e abril do ano passado – há cerca de dez meses.

De acordo com Gustavo Fiscarelli, presidente da Arpen, a taxa é a menor da série histórica para o mês de janeiro, que teve as medições iniciadas em 2002. Segundo Gustavo, as incertezas geradas pela pandemia podem ter influenciado nas decisões sobre paternidade:

"Por conta de tudo que cercou a pandemia, das incertezas que cercaram a pandemia, das consequências mais danosas no seu pior momento, os casais optaram por adiar esse sonho da paternidade, da maternidade. E o reflexo disso foi justamente esse decréscimo aí substancial nessa taxa de natalidade que, até então, era estável" – explicou.

Em todo o Brasil, o número de registros de nascimentos em janeiro de 2021 foi de 207.901, 15,1% menor do que os 244.974 observados em janeiro de 2020. Os números estão disponíveis no Portal da Transparência do Registro Civil.


Siga-nos