Pandemia leva estudantes a adiarem matrícula no ensino superior

Os estudantes estão mais dispostos a adiar a matrícula no ensino superior em 2021, apontou uma pesquisa da Educa Insights em parceria com a Associação Brasileira de Mantenedores do Ensino Superior (Abmes). O motivo pode ser o ritmo lento da vacinação contra a Covid-19 no país.

Ao todo, 25% dos entrevistados pretendem começar na faculdade ainda no primeiro semestre, enquanto que na pesquisa realizada em novembro de 2020 esse número era de 38%. Os estudantes estão mais receosos especialmente quanto aos cursos presenciais, para os quais o desejo de matrícula no primeiro semestre caiu de 33% para 14%. No ensino a distância a queda foi menor, de 46% para 38%.

O diretor presidente da Abmes, Celso Niskier, levantou uma preocupação com o cenário atual, que poderia “gerar um apagão” no mercado de trabalho "em quatro ou cinco anos":

"O mundo do trabalho não pode esperar. O mundo do trabalho vai precisar de profissionais para vencer o desafio da pandemia e essa decisão acaba prejudicando a formação de mão de obra qualificada no Brasil, podendo no futuro gerar um apagão, na medida em que teremos menos profissionais formados em quatro ou cinco anos." – comentou o diretor da Abmes.

Enem

O cenário também pode ser um reflexo do que ocorreu no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As provas impressas, realizadas sob críticas durante a última alta de casos de Covid, marcaram uma abstenção recorde de 55,3%. No caso das provas digitais, que também foram feitas presencialmente, 71,3% dos inscritos não foram aos locais de provas.