Petição contra boneca com agenda LGBT já tem mais de 20 mil assinaturas

Mais de 20.000 pessoas já apoiaram uma petição online pedindo à empresa “The American Girl” para descartar um enredo LGBT vinculado a sua boneca “Garota do Ano de 2021”. O documento pede à empresa que permaneça neutra no que eles chamam de "guerra cultural". 

“One Million Moms” (Um Milhão de Mães, em tradução livre), uma organização conservadora cristã que regularmente lança campanhas contra organizações que produzem conteúdos que vão contra os princípios cristãos, lançou uma campanha online  depois que a Mattel nomeou Kira Bailey, de Michigan, 10 anos, a “Garota do Ano de 2021” em dezembro. 

A boneca vem com um livro que mostra a personagem Kira visitando um santuário animal na Austrália, administrado por suas tias-avós lésbicas. O livro detalha como as tias se casaram depois que as leis foram alteradas em 2017 para permitir o casamento do mesmo sexo. 

A petição One Million Moms, apoiada por 20.665 signatários na tarde de domingo (07), chama a história de “inaceitável”. 

“Como cristãos, sabemos que mesmo que algo seja legalizado não o torna moral ou correto”, argumenta One Million Moms. 

A organização pede aos pais que não deixem suas filhas verem a boneca, para que possam evitar “uma conversa prematura sobre ideologia de gênero”.

American Girl, que é conhecida como uma marca que ajuda as meninas a “crescerem com confiança e caráter”, argumenta que sua linha de personagens contemporâneos é projetada para inspirar as crianças “a fazer uma diferença positiva no mundo”. 

Segundo o site Yahoo, a empresa também planeja publicar ainda este mês um livro que apresenta uma família de raça mista com dois pais. 

One Million Moms não é a única organização que expressou sua oposição ao enredo.

Kimberly Fletcher, presidente e fundadora do “Moms for America” (Mães para a América), argumenta que American Girl está “destruindo mais um apoio valioso para mães que criam filhos”.