Bebê morre afogado em batismo e petição tenta mudar tradição ortodoxa Um bebê morreu afogado ao ser batizado em uma igreja ortodoxa, na cidade de Suceava, Romênia. O caso ocorreu no dia 31 de janeiro, mas ganhou repercussão mundial depois que 59 mil pessoas assinaram uma petição para mudar esse ritual de batismo por imersão de crianças.

Segundo a CNN, a fatalidade aconteceu depois de a criança ser imersa na água três vezes e sofrer parada cardiorrespiratória. Na ocasião, paramédicos fizeram o atendimento na igreja para tentar reanimá-lo. Depois, levaram o bebê para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital do Condado de Suceava, mas, ele não resistiu.

O caso iniciou uma onda de protestos no país, incluindo uma pressão contra a Igreja Ortodoxa Romena. A petição assinada por 59 mil pessoas tem por objetivo mudar esse ritual de batismo, com a ideia de substituir a imersão na água por apenas algumas borrifadas na pessoa batizada. 

Vladimir Dumitru, organizador da petição, disse que a intenção não é ir “contra a instituição da Igreja ou contra os padres”, mas, sim começar uma mudança nessa tradição descrita por ele como “às vezes brutal”.

Já o porta-voz do Patriarcado Romeno, Vasile Bnescu, chamou o caso de ‘trágico’, mas, defendeu que não há como uma criança “ser mergulhada na água sem cobrir o nariz, a boca e as orelhas". "Há uma técnica que um padre experiente sempre usa. É assim que o batismo é celebrado com o maior cuidado", comunicou o porta-voz.

O Ministério Público local abriu um processo de homicídio culposo contra o padre da cidade de Suceava.

Um internauta denunciou a "brutalidade" do ritual e outro criticou a "teimosia de quem pensa que é vontade de Deus" mantê-lo. Paralelamente, a imprensa do país relatou vários incidentes semelhantes nos últimos anos.

Mas o arcebispo Teodosie, líder da ala tradicionalista da Igreja, disse que o ritual não vai sofrer alterações.

Mais de 80% dos romenos são ortodoxos e a Igreja é uma das instituições mais confiáveis, de acordo com sondagens recentes.