Cancelamento nas redes sociais pode causar ansiedade e depressão

Muito se fala sobre cancelamento nas redes sociais, principalmente neste momento em que o assunto é tão evidente um dos reality shows mais assistidos no país, o Big Brother Brasil, incentivando ainda mais a "segregação digital". Nem sempre influenciadores e artistas conseguem viver o tempo todo uma vida perfeita na internet, como um personagem, maquiando a realidade. Isso ficou ainda mais evidente no programa e também é a realidade de muita gente que vive longe das câmeras, mas que compartilha sua rotina nas redes sociais.

A psicóloga Célia Siqueira afirma que a utilização excessiva das redes sociais pode gerar mudanças significativas no comportamento físico e mental, seja no jovem ou no adulto, e que a busca pela popularidade e aceitação do outro, pode desencadear o aumento da ansiedade e levar à depressão.

“A necessidade excessiva de atenção, expectativa da grande quantidade de curtidas nas fotos e visualizações em vídeos, muitas vezes é resultado de carência afetiva. Algumas pessoas, por não alcançar seus objetivos nas redes ou por receber críticas, podem desencadear fobias bem sérias, como a síndrome do pânico”, diz Célia.

Segundo a psicóloga, não ter aprovação social ou ser "cancelado" de uma hora para outra, resulta em bullying virtual em algumas situações e consequentemente, o surgimento de traumas e até o suicídio.

O medo do cancelamento faz com que cada vez mais as pessoas transmitam através da internet uma vida perfeita e de felicidade constante.

Precisamos aprender a levar uma vida sem filtros, do jeitinho que Deus nos criou, com nossas qualidades, mas também reconhecendo que somos imperfeitos. Precisamos nos respeitar para respeitar ao próximo.