Pela terceira semana seguida, todos os bairros do Rio têm risco alto para Covid-19

A prefeitura do Rio divulgou nesta sexta-feira (05) mais um Boletim Epidemiológico Covid-19. Pela terceira semana seguida, todas as 33 regiões administrativas da cidade têm risco alto de contágio pelo novo coronavírus.

Segundo a prefeitura, seguem as mesmas recomendações para o combate à Covid no município e estão mantidas as regras de ouro para funcionamento dos estabelecimentos comerciais que seguem abertos, como distanciamento de 1,5 metros entre as mesas de restaurantes, e limitação a dois terços da capacidade o funcionamento de shoppings, supermercados e farmácias. Boates seguem liberadas com um quarto do público e sem pista de dança.

O prefeito Eduardo Paes voltou a afirmar que as escolas serão abertas no fim do mês de fevereiro e terão prioridade:

"Escolas devem ser as primeiras a abrir e as últimas a fechar. Se tiver que fechar alguma coisa daqui pra frente, a última coisa que vai fechar é a escola"

Recorde de mortes

Apesar de ter 6,7 milhões de habitantes, quase a metade da população de São Paulo, com mais de 12 milhões, a cidade do Rio de Janeiro é a que mais tem vítimas da Covid-19 em todo o Brasil. A capital fluminense chegou ontem (04) à marca de 17.535 óbitos e passou São Paulo, que registra 17.491 mortes por covid.

Vacinação

A principal aposta da Secretaria Municipal de Saúde do Rio para o enfrentamento da pandemia é mesmo acelerar a vacinação na cidade. Nesta sexta, estão podendo ir aos postos os idosos com 90 anos ou mais. O calendário prevê que todos os cariocas a partir de 75 anos sejam imunizados até o fim de fevereiro. Em março, será a vez dos idosos com mais de 60 anos, enquanto que abril marcará a vacinação das pessoas com comorbidades.

Mais de 160 mil pessoas foram vacinadas na cidade do Rio até a manhã de hoje, cerca de 2,35% da população.