Israel doa 2 mil doses de vacina contra Covid-19 à Autoridade Palestina Israel enviou na segunda-feira (01) à Autoridade Palestina o primeiro lote da vacina contra o coronavírus da Moderna para ajudar a imunizar profissionais de saúde da linha de frente. 

Israel transferiu 2.000 doses da vacina para serem distribuídas na Cisjordânia - Judeia e Samaria bíblicas. Israel concordou em dar um total de 5.000 doses aos palestinos, que estão muito aquém da campanha de vacinação israelense. 

A Organização Mundial da Saúde levantou preocupações sobre o fracasso dos palestinos em receber qualquer vacina até agora, e a ONU disse que Israel é responsável por fornecer aos palestinos acesso equitativo às vacinas de acordo com o direito internacional. No entanto, os líderes israelenses argumentaram que, de acordo com acordos de paz provisórios alcançados na década de 1990, Israel não é responsável pelo bem-estar dos palestinos que vivem sob a Autoridade Palestina.

O ministro da saúde israelense, Yuli Edelstein, disse à BBC: "Também podemos examinar os chamados acordos de Oslo, onde diz em alto e bom som que os palestinos devem cuidar de sua própria saúde."

Apesar disso, os líderes israelenses decidiram transferir as vacinas para a Autoridade Palestina por causa das preocupações sobre a propagação da doença na Cisjordânia e Gaza e o que isso poderia significar para o Estado Judeu. As autoridades israelenses estão preocupadas com o fato de as populações israelense e palestina estarem intimamente interligadas, dizendo ao  Wall Street Journal  que vacinar os palestinos é uma “clara necessidade” para a própria batalha de Israel contra a pandemia.

Israel está liderando o mundo na vacinação de sua população. Mais de 3,1 milhões de pessoas já receberam sua primeira dose, enquanto 1,8 milhões receberam sua segunda dose.

O primeiro-ministro da Autoridade Palestina, Mohammad Shtayeh, disse na segunda-feira que a autoridade iniciaria sua própria campanha depois que um embarque esperado de 50 mil vacinas de várias fontes chegar em fevereiro. A maioria das vacinas será por meio da Covax, mas as autoridades palestinas estão tentando garantir as vacinas da AstraZeneca, Moderna e Rússia.