Professores do Rio entram em greve contra volta das aulas presenciais

Professores das redes municipal e estadual do Rio de Janeiro entram hoje (1º) em greve contra a volta das aulas presenciais. No município, o retorno está marcado para 24 de fevereiro, enquanto que no estado as atividades voltam em março. Os professores pedem que os profissionais da educação sejam incluídos entre os grupos prioritários da vacinação contra a Covid-19.

A decisão foi aprovada em assembleia do Sepe-RJ (Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Rio de Janeiro) no último sábado (30). Chamada de “Greve Pela Vida”, a determinação recomenda que profissionais convocados para as aulas presenciais não compareçam às unidades.

De acordo com Gustavo Miranda, coordenador geral do Sepe-RJ, os profissionais reconhecem a importância da volta das atividades, mas “entendem que a saúde da população, deles próprios e da comunidade escolar, incluindo os responsáveis por esses estudantes, precisa ser preservada”. 

Em nota, a Secretaria Estadual de Educação do Rio (Seeduc) comunicou que respeita a decisão dos profissionais, mas destaca que a volta das atividades presenciais é fundamental, especialmente para alunos em situação de vulnerabilidade que não possuem acesso à internet ou a aparelhos eletrônicos. De acordo com a Seeduc, esses estudantes, que compõem 10% da rede estadual, serão priorizados no retorno.

Já a prefeitura do Rio comunicou que os especialistas do Comitê Especial de Enfrentamento Covid-19 deram o aval ao protocolo sanitário que será praticado no retorno das aulas presenciais. Segundo a nota, “na ocasião de piora da pandemia, as escolas devem ser as últimas a fechar e as primeiras a abrir”. Ainda de acordo com a prefeitura, os profissionais da educação serão vacinados logo após os idosos e as pessoas com comorbidades.