Educador financeiro dá oito dicas para casais não brigarem por dinheiro

Na vida dos casais é muito comum que haja desentendimentos que possam evoluir para discussões mais acaloradas. Quando se trata de dinheiro, as brigas podem ser ainda mais impactantes, por mexerem com um assunto sensível, especialmente em um período de crise.

Nesse caso, a transparência e o diálogo são fundamentais para prevenir as discussões, aponta Reinaldo Domingos, educador financeiro, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e autor de livros didáticos e para adultos sobre educação financeira.

Reinaldo conta que em suas consultorias são comuns os casos em que os casais nem mesmo conhecem o salário de seus companheiros ou como utilizam esse valor. Para ele, o mais adequado é que os casais construam um orçamento familiar baseado nos sonhos e objetivos da família e que definam regras financeiras.

Veja outras oito dicas do Reinaldo Domingos para os casais:

1. Recomendo reuniões frequentes entre o casal para debater as finanças, porém, diferente do que ocorre frequentemente, esse não deve ser um momento apenas de tensão, mas sim de projeção;

2. Estabeleçam sempre sonhos de curto, médio e longo prazos, lembrando que se deve ter objetivos coletivos e individuais;

3. Um ponto que geralmente é foco de divergências é o padrão de vida que o casal leva, assim, faça um diagnóstico financeiro e, com os números reais da vida financeira, ajuste o padrão dentro dessa lógica;

4. Outro motivo de briga é o fato de um dos parceiros ser mais acomodado. É importante entender que cada um possui um estilo, assim, recomendo a busca de um meio termo, com regras bem estabelecidas e não ficar batendo sempre na mesma tecla;

5. O ponto fundamental é que, quando só um dos parceiros trabalha externo, também deve se ter a preocupação com a vida financeira em longo prazo, no caso aposentadoria;

6. Caso tenham filhos, é preciso inclui-los na conversa sobre dinheiro e, mais do que isso, também devem chegar a um acordo sobre como será a educação deles em relação às finanças;

7. Se um dos parceiros fez alguma ação errada em relação ao dinheiro, lógico que haverá um nervosismo inicial, por isso, tente deixar o debate para um momento no qual já conseguiu se acalmar um pouco e refletir sobre o ocorrido. Contudo, não finja que nada ocorreu, guardar pode causar "estouros" futuros;

8. Lembrem-se, é nas dificuldades que vemos com quem realmente podemos contar. Assim, em caso de crise financeira, em vez do distanciamento, o ideal é buscar estar mais perto de quem gostamos.