Todos os bairros do município do Rio seguem com alto risco para Covid A cidade do Rio de Janeiro continua com todas as regiões classificadas em alto risco para o novo coronavírus, indica o 4º Mapa Epidemiológico da covid-19 com avaliação por regiões administrativas, divulgado hoje (29) pela prefeitura. Os boletins epidemiológicos podem ser acessados pelo link coronavirus.rio.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, mesmo com números de casos e óbitos em queda, os alertas se mantêm no nível alto. Para ele, as restrições de distanciamento social e uso de máscara são claras e estão mantidas.

Soranz renovou o pedido à população para evitar aglomerações. “Ao mesmo tempo, a gente sabe que precisa da consciência de todo carioca para reduzir as aglomerações e a transmissão de covid na cidade”, disse.

Apesar de o mapa manter estabilidade em comparação à edição anterior, o prefeito Eduardo Paes fez uma relação dessa situação com um boletim escolar. Lembrando que em fevereiro haverá a volta às aulas na cidade, ele disse que, na sequência das quatro edições do mapa, houve uma piora na nota do boletim.

“A gente está mantendo a mesma nota. O problema é que a nota que a gente tem não é boa e não dá para passar de ano. Para passar de ano, a gente precisa voltar para a nota amarela. A gente está na nota laranja. A gente precisa voltar ao moderado e a gente está no alto. O nosso apelo a todo carioca, temos feito esforço de fiscalização, não é uma maioria que desrespeita as regras, é uma minoria e temos sido duros, mas o nosso apelo é melhorar a nota e passar de ano. Passar de ano neste caso significa salvar vidas”, afirmou Paes.

Vacinação
Ainda na apresentação do 4º Mapa Epidemiológico da Covid-19, a prefeitura do Rio anunciou que espera vacinar até o fim de março todas as pessoas acima de 60 anos. Pelo cronograma, há a previsão de até 27 de fevereiro vacinar os idosos entre 80 e acima de 99 anos, começando na próxima segunda-feira (1º). Após essa etapa, terá início a vacinação para quem tem de 60 a 80 anos, conforme a disponibilidade dos imunizantes. Os profissionais de saúde da linha de frente ou os com mais de 60 anos em atividade continuarão sendo vacinados.

“Com o fluxo de vacinas chegando, vamos avançar no mês de março para o pessoal entre 80 e 60. Sei que tem muita gente angustiada em casa que quer ser vacinada logo. É natural que as pessoas tenham essa ansiedade.

Com esse fluxo de vacina se normalizando, a gente consegue, quem sabe no fim de março, toda a população carioca acima de 60 anos já vacinada. Estamos falando de dois meses para aguentar uma agonia que já dura quase um ano. Quero reforçar o apelo para que a gente cuide das pessoas com comorbidade e muito dos nossos idosos”, afirmou o prefeito do Rio de Janeiro.

De acordo com a prefeitura, não importa o fabricante da vacina, porque as duas disponíveis no momento são eficazes e seguras. A Secretaria de Saúde pede que ninguém vá aos postos de saúde receber a vacina caso não esteja no grupo prioritário atual. Ao ir para a imunização a pessoa deve levar a caderneta de vacinação e o documento de identidade.

O superintendente de Vigilância em Saúde, Márcio Garcia, alertou que a prefeitura não faz pré-cadastro para a vacinação. “A gente pede que a população não clique em nenhum link. Não há pré-cadastro”, garantiu.

Carnaval
O prefeito Eduardo Paes voltou a fazer um pedido para que a população não se aglomere nos dias do carnaval - de 13 a 16 de fevereiro.

Lembrou que, como folião, lamenta a suspensão dos desfiles de blocos e das escolas de samba, mas defendeu que é importante a conscientização de todos e que esse não é o momento de ir às ruas participar da folia carnavalesca.

Ele destacou que a maior parte dos óbitos atinge pessoas com mais de 60 anos. “Vamos salvar vidas e deixar a nossa coroada viver muito mais. Antigamente se dizia: uma pessoa de 80 anos está no fim. Não está. Tem uma vida longa pela frente e todos nós queremos conviver com nossos pais, avós, tios, amigos por muitos anos”, disse.

Calendário de vacinação
O calendário de vacinação para pessoas até 80 anos foi anunciado ontem pela prefeitura. Na primeira semana, serão atendidas pessoas a partir de 99 anos até 95 anos. Aos sábados, as que não compareceram na data determinada.

A Secretaria Municipal de Saúde ampliou os locais de vacinação que vão passar a funcionar em dez postos de drive thru, onde as pessoas serão vacinadas dentro de seus carros, com funcionamento aos sábados das 8h às 12h, a partir de 6 de fevereiro.

Os locais são a Cidade Universitária, no Centro Médico de Saúde (CMS) Belizário Pena, o CMS Manoel Guilherme da Silveira, o estádio Nilton Santos (Engenhão), o Parque Madureira, o Parque Olímpico, a Policlínica Lincoln de Freitas Filho, o Sambódromo, no campus de Botafogo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), onde o funcionamento terá horário diferente: 9h às 15h.

Conforme os últimos dados da prefeitura, a cidade do Rio tem 125.554 pessoas vacinadas e há 604 postos de aplicação das doses. O último painel de leitos indica que até as 20h59 de ontem havia oito pessoas aguardando vagas e 942 internadas.