Um dos hackers presos pedia Ariovaldo Moreira, advogado que atua na defesa de Gustavo Elias Santos e Suelen Oliveira, casal preso na Operação Spoofing, da Polícia Federal, confirmou que pelo menos um dos seus clientes viu as mensagens roubadas do celular do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

Em conversa com o site O Antagonista, o advogado afirmou que Walter Delgatti Neto, conhecido como “Vermelho”, mostrou as mensagens para Gustavo “para se vangloriar e dizer que tinha pleno acesso”.

Apesar da admissão, Moreira afirmou não acreditar que Delgatti Neto esteja no centro do esquema que atacou aparelhos telefônicos de investigadores e magistrados que atuam na Operação Lava Jato.

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) mapeou transações suspeitas de R$ 424 mil na conta de Gustavo e R$ 203 mil na conta de sua mulher, Priscila. Agentes da PF também apreenderam R$ 100 mil em espécie na residência do casal.

Walter Delgatti Neto foi um dos alvos da operação Spoofing. Coincidentemente, Delgatti Neto se mostrava bem ativo no Twitter desde o dia 27 de maio, poucos dias antes da primeira matéria publicada pelo site Intercept Brasil, cujo cofundador é o militante norte-americano Glenn Greenwald.

Em seu perfil no Twitter, há várias postagens relacionadas ao Intercept, mensagens pedindo “Lula livre”, além de críticas à Lava Jato e ao governo do presidente Jair Bolsonaro.

Delgatti mantém fixado em seu perfil um tuíte com discurso recente do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, contra a criação de um fundo privado com recursos da Petrobras recuperados pela Lava Jato.

O último post de Delgatti é sobre o ataque cibernético contra o celular do ministro da Economia, Paulo Guedes. Ao compartilhar uma matéria do blog petista “Brasil247”, ele escreveu: “Aí vem coisa hein kkk”.