Procon-RJ e Polícia Civil realizam operação em empresas de instalação de gás veicular

O Procon Estadual do Rio de Janeiro realizou nesta quinta-feira (28) uma ação em conjunto com a Polícia Civil para averiguar denúncias de estabelecimentos que estariam efetuando a instalação do GNV de maneira irregular. Os agentes fiscalizaram 17 lojas ao total por Campo Grande, Guaratiba, Duque de Caxias e Nova Iguaçu.

As denúncias recebidas no Procon-RJ informaram que os estabelecimentos não possuem CRI – Certificado de Registro de Instalador – emitido pelo INMETRO, que permite realizar a instalação, conversão e manutenção do equipamento de GNV. Além disso, relatam que os cilindros usados na instalação seriam oriundos de veículos furtados, roubados ou incendiados, que não possuem nota fiscal de origem, nem inspeção de segurança, o que pode colocar em risco a segurança do consumidor.

Durante a operação, os agentes verificaram se as empresas possuem licença para instalação do equipamento de gás veicular, nota fiscal de todos os equipamentos que compõem o kit gás e autorização para requalificação dos cilindros, no caso de requalificadoras. Se têm certidão de aprovação e laudo de exigências do corpo de bombeiros, alvará de funcionamento e outras normas atinentes à legislação consumerista.

O presidente do Procon-RJ, Cássio Coelho, adverte "O consumidor precisa se atentar ao contratar a instalação do kit gás em seu veículo. Consultar se a empresa é credenciada pelo INMETRO para realizar a instalação. Escolher um instalador registrado que possua CRI ativo e sempre solicitar a nota fiscal do serviço e dos componentes do GNV. Se possível, preferir cilindros novos, pois assim o comprador terá certeza que o equipamento foi aprovado em testes e não apresentam riscos de terem sofrido sinistros".