Serasa nega ser responsável por vazamento de dados da população brasileira

Apontada como a responsável pelo vazamento de dados de toda a população brasileira, inclusive mortos, a Serasa Experian negou as acusações apresentadas em uma matéria do “Tecnoblog”. O texto traz informações sobre os números e o perfil dos vazamentos, um arquivo de 14 GB foi compilado em agosto de 2019 e disponibilizado na internet aberta. A Serasa se defendeu em nota.

“Fizemos uma investigação aprofundada que indica que não há correspondência entre os campos das pastas disponíveis na web com os campos de nossos sistemas onde o Score Serasa é carregado, nem com o Mosaic. Além disso, os dados que vimos incluem elementos que nem mesmo temos em nossos sistemas e os dados que alegam ser atribuídos à Serasa não correspondem aos dados em nossos arquivos”, declarou a empresa.

Segundo o texto da “Tecnoblog”, o material vazado possibilitava que criminosos comprassem informações mais específicas por valores pagos em bitcoins que vão de US$ 0,075 a US$ 1 por CPF, a depender da quantidade de dados adquirida.

Fotos de rosto, scores de crédito, endereços e até salários foram expostos no que está sendo considerado o maior vazamento de dados já registrado no país, que atingiu 223,74 milhões de brasileiros vivos ou mortos. É mais do que a população atual do Brasil.

A denúncia feita inicialmente pela empresa Psafe, de segurança da informação, apontava que os primeiros dados davam conta apenas do vazamento de CPF, data de nascimento e gênero. Porém, um segundo vazamento, identificado no dia 19 de janeiro, expôs dados ainda mais sensíveis, que podem levar a uma onda de crimes cibernéticos de extorsões, roubos e estelionato.

Os dados podem facilitar as fraudes bancárias, que são os crimes mais comuns na internet. Um golpe bastante frequente é o do boleto fictício, mandado para os consumidores com seu CPF, nome e demais dados, sem que haja nenhuma compra vinculada ao documento. Com os dados em mãos, esse tipo de fraude pode se tornar mais frequente.

A orientação é que cada cidadão fique atento às movimentações em suas contas e formalizem um boletim de ocorrência diante da identificação de alguma fraude, roubo ou tentativa de extorsão.