Aumento no valor da passagem de trem no Rio é suspenso temporariamente

O aumento das passagens de trens da SuperVia no Rio foi adiado por pelo menos 20 dias, após reunião da concessionária com a Secretaria Estadual de Transportes. O valor subiria de R$ 4,70 para R$ 5,90 no próximo dia 2 de fevereiro.

O reajuste de mais de 25% havia sido aprovado em dezembro do ano passado pela Agetransp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro). Entretanto, após os inúmeros protestos de usuários do serviço e de organizações não governamentais (ONGs) do Rio, a SuperVia e a Secretaria de Transportes decidiram em reunião adiar o aumento por pelo menos 20 dias.

Um novo valor para a passagem pode ser definido levando em conta o cenário econômico atual tanto da empresa quanto dos usuários.

Nota da Supervia

Em nota, a SuperVia informou que, desde março de 2020, “acumula uma perda financeira de R$ 315 milhões”. De acordo com a concessionária, a pandemia da Covid-19 resultou na “redução de 72,4 milhões de passageiros no período”.

Veja a nota da SuperVia na íntegra:

"A SuperVia está em permanente contato com o Governo do Estado do Rio de Janeiro, que é o poder concedente, para avaliar as medidas possíveis sobre o reajuste da passagem, preservando as características do Contrato de Concessão e garantindo o equilíbrio econômico financeiro da concessionária.

O reajuste anual da tarifa unitária do serviço de transporte ferroviário de passageiros de 2021 foi homologado pela Agetransp de acordo com índice previsto no contrato de concessão - o IGP-M, que resultou em um valor máximo de até R$ 5,90.

A SuperVia lembra ainda que, em função da pandemia do coronavírus, desde março de 2020 acumula uma perda financeira de R$ 315 milhões resultado da redução de 72,4 milhões de passageiros no período. A concessionária, assim como os outros modais de transporte público do Rio de Janeiro, depende exclusivamente da venda das passagens para dar continuidade à prestação do serviço e não conta com qualquer subsídio do governo.

A expectativa inicial da SuperVia era que recuperação completa de clientes se daria no segundo semestre de 2021. Mas a crise econômica do país e o aprofundamento da crise no Rio de Janeiro alteraram a previsão para a retomada da demanda, que agora deve ocorrer apenas no final de 2022 ou início de 2023".