Garganta seca constante pode ser sinal de problemas graves de saúde

A boca seca é caracterizada pela diminuição ou interrupção da secreção de saliva que pode ocorrer em qualquer idade, sendo mais comum em mulheres idosas. Também chamada de xerostomia, assialorreia e hipossalivação, a boca seca pode ter diversas causas, como a baixa ou nenhuma produção de saliva pelas glândulas salivares. A Dra. Maria Geovânia Ferreira, dentista, membro da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE) e da Sociedade Brasileira de Toxina Botulínica e Implantes Faciais na Odontologia (SBTI), e professora assistente de anatomia facial no Miami Anatomical Research Center, Estados Unidos, comenta nesta entrevista que a saliva desempenha um importante papel na proteção da cavidade oral contra infecções por fungos, vírus ou bactérias, como a Candida Albicans, que causam cárie e mau hálito. “Além de umidificar os tecidos da boca, também ajuda na formação e deglutição do bolo alimentar, facilita a fonética e é essencial na retenção de próteses. Por isso, a sensação de boca seca constante é um sinal de alerta que merece atenção”, afirma.

O que normalmente causa esse ressecamento da garganta?

A falta de vitamina A e do complexo B podem ressecar a mucosa da boca e levar ao surgimento de feridas na boca e na língua. Tanto a vitamina A quanto as do completo B podem ser encontrados em alimentos como peixes, carnes e ovos.

As doenças autoimunes são causadas pela produção de anticorpos contra o próprio organismo, levando a inflamação de algumas glândulas do corpo, como a glândula salivar, resultando na diminuição de saliva e, consequentemente, no ressecamento da boca.

Algumas doenças autoimunes que podem levar a boca seca são o Lúpus Eritematoso Sistêmico e a Síndrome de Sjögren, em que pode haver também sensação de areia nos olhos e maior risco de infecções, como cáries e conjuntivite.

É comum o uso de medicamentos provocar esta alteração?

Alguns medicamentos também podem causar boca seca, como antidepressivos, antidiuréticos, antipsicóticos, anti-hipertensivos e medicações para alguns tipos de câncer. A própria radioterapia, que objetiva eliminar as células cancerígenas por meio da radiação, quando realizada na cabeça ou no pescoço, pode causar boca seca e aparecimento de feridas na gengiva, dependendo da dose de radiação.

Quais os fatores mais comuns em mulheres?

As alterações hormonais, principalmente na menopausa e durante a gravidez, podem gerar uma série de desequilíbrios no organismo da mulher, inclusive diminuir a produção de saliva, causando o ressecamento da boca.

A boca seca na gravidez pode ocorrer devido a ingestão insuficiente de água, já que a necessidade de líquido aumenta nesse período, pois o corpo precisa formar a placenta e o líquido amniótico. Por isso, se a mulher já bebia cerca de 2 litros de água por dia, é normal que ela tenha que aumentar esta quantidade para cerca de 3 litros por dia.

Já a tireoidite de Hashimoto é uma doença caracterizada pela produção de auto anticorpos que atacam a tireoide e levam à sua inflamação, causando hipertireoidismo e, normalmente, seguido por hipotireoidismo. O ressecamento da boca é um dos sinais de doenças na tireoide, que pode surgir lentamente.

É verdade que o ressecamento da garganta pode provocar mau hálito?

Alguns problemas respiratórios, como desvio de septo ou obstrução das vias aéreas, podem estimular a respiração somente pela boca, causando, a longo prazo, alterações na anatomia do rosto, além de possíveis infecções, já que o nariz não está filtrando o ar inspirado. Sendo assim, a entrada e saída constante de ar pela boca geram o ressecamento e também mau hálito.

Além de ingestão de água, quais outras alternativas para evitar ou, pelos menos, amenizar o problema da garganta seca?

A boca seca é muito comum em pacientes diabéticos e pode ser causada pela poliúria, caracterizada pelo ato de urinar com muita frequência. Neste caso, o ideal é aumentar o consumo de água, mas o médico poderá também avaliar a necessidade da troca de medicamentos, dependendo da gravidade deste efeito colateral.

Para aumentar a secreção da saliva, a orientação é beber bastante água ao longo do dia; chupar balas com superfície lisa ou chicletes sem açúcar; comer mais alimentos ácidos e cítricos, pois estimulam a mastigação; aplicar flúor no consultório odontológico; escovar os dentes e usar fio dental após cada refeição e usar um enxaguante bucal (de preferência, sem álcool).

Evite ficar passando a língua nos lábios para umidificar, pois, ao contrário do que se pensa, isso resseca ainda mais. Utilize protetores labiais, manteiga de cacau ou batons com propriedades hidratantes. De qualquer forma, se o quadro de garganta seca estiver persistente, consulte seu dentista o mais rápido possível. Dependendo do caso, o tratamento envolverá outros especialistas.