Homem invade transmissão da Globo para “desmascarar” emissora

Nos hospitais de Manaus/AM são comuns as cenas de desespero e revolta como a deste homem (vídeo no fim da matéria) que tinha acabado de perder a mãe ante ao caos na saúde pública. Revoltado e visivelmente abalado, ele invadiu uma transmissão ao vivo da Globo para desabafar contra o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), e falar a realidade que, segundo ele, a emissora insiste em distorcer.

A falta de oxigênio em Manaus tem sido amenizada pelo socorro emergencial do governo federal ao estado, assim como também pela ajuda voluntária de artistas, jogadores de futebol, empresas e demais cidadãos brasileiros comovidos com a situação trágica vivida pela população local.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, chegou a determinar a abertura de inquérito no STJ (Superior Tribunal de Justiça) para apurar eventual omissão do governador Wilson Lima (PSC), e da prefeitura de Manaus, comandada pelo recém-empossado David Almeida (Avante), na crise que levou ao colapso do sistema de saúde, especialmente no que diz respeito ao fornecimento de oxigênio para pacientes com covid-19.

Na terça (19), o ministro Jorge Mussi, vice-presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), determinou que os gestores estaduais e municipais do Amazonas forneçam, dentro de 48 horas (hoje), informações detalhadas sobre o uso de recursos federais para o combate à Covid-19.

"Os elementos de convicção trazidos pelo MPF (Ministério Público Federal) demonstram a possibilidade 'de que tenha havido ilegalidades diversas no emprego de recursos federais destinados ao enfrentamento da pandemia' no Amazonas'", afirmou Mussi, que responde pelo plantão do STJ.

Fura-fila 

Os fatos justificam a revolta da população. Na segunda (18), por exemplo, o estado recebeu pouco mais de 300 mil doses da vacina contra a Covid-19 do Instituto Butantan, para iniciar a campanha de imunização em profissionais de saúde que estão na linha de frente no combate à Covid-19. No entanto, já houve denúncias de pessoas que furaram a fila da vacina.

Denúncias envolvendo as irmãs Isabelle Lins e Gabrielle Kirk Maddy Lins, filhas do dono de uma das maiores universidades privadas de Manaus, o estão rodando as redes sociais. Em fotos, é possível ver as duas comemorando por terem sido vacinadas. 

Apesar de serem médicas, as irmãs  foram nomeadas para cargos comissionados na Prefeitura de Manaus na véspera e no dia do início da vacinação na cidade. Internautas apontam fraude, e o Ministério Público do Amazonas abriu investigação.


Siga-nos