Butantan entra com pedido de uso emergencial de outras 40 milhões de doses da CoronaVac

O Instituto Butantan enviou nesta segunda-feira (18) à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) um novo pedido para o uso emergencial da CoronaVac, referente às doses envasadas já no Brasil.

A autorização concedida neste domingo (17) pela Anvisa diz respeito apenas às 6 milhões de doses que foram importadas já prontas da farmacêutica chinesa Sinovac, por isso, esta nova solicitação é necessária. Ao longo do primeiro semestre, o Butantan vai envasar em suas fábricas outras 40 milhões de doses da vacina. Destas, 4,8 milhões já estão disponíveis para uso e os insumos para outra 11 milhões devem chegar nos próximos dias.

"Ainda na manhã de hoje entramos com o pedido de uso emergencial agora para todas as doses que serão produzidas no Butantan. A primeira partida de 4,8 milhões já em disponibilidade à medida que for feita essa liberação. Uma vez aprovada, aí a produção do Butantan já será feita de acordo com essa autorização" – informou Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan.

Segundo o diretor, as fábricas do Butantan estão paradas no momento, aguardando a nova chegada dos insumos da vacina:

"Estamos com um pedido aprovado de importação lá na China e neste momento aguardamos uma autorização do governo chinês. Isso já deveria ter acontecido 15 dias atrás, não aconteceu, estamos em intenso contato com os chineses para que liberem essas doses, que serão suficientes para a produção de mais de 11 milhões de doses." – relatou.

Dimas Covas também disse esperar que, “como a documentação é praticamente a mesma, não existe muita diferença, isso seja aprovado muito rapidamente". O prazo estipulado pela Anvisa é de 10 dias.