Vacina de Oxford só deve chegar ao Brasil em fevereiro

O Brasil só deve receber as 2 milhões de doses da vacina de Oxford produzidas pelo Instituto Serum da Índia “em duas semanas”, segundo o diretor do instituto, Adar Poonwalla. A previsão anterior era para o último sábado (16).

O avião que buscaria as doses na Índia partiria do Brasil na semana passada, mas o Instituto Serum preferiu adiar a entrega para evitar uma eventual crise política no país asiático, que acaba de iniciar sua campanha de vacinação. Com isso, a aeronave foi direcionada à transportar equipamentos para os hospitais de Manaus, que passa por um colapso do sistema de saúde.

O Ministério da Saúde do Brasil informou que "segue em tratativas diplomáticas com o governo da Índia para definição da data de liberação do imunizante da AstraZeneca/Oxford adquirido pela pasta junto ao laboratório indiano Serum Institute, produtor das doses".

Ainda segundo a nota, "todas as medidas que cabem à pasta foram executadas, desde a compra da vacina em sua totalidade, emissão de documentos de importação e exportação, além de contratação de transporte. A expectativa é que os 2 milhões de doses da vacina Astrazeneca/Oxford cheguem ao Brasil com a máxima brevidade possível".

Fiocruz também entrega em fevereiro

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) já divulgou que entrega suas primeiras doses da vacina de Oxford na segunda semana de fevereiro. Essas doses serão envasadas já no Brasil, a partir do IFA (ingrediente farmacêutico ativo). Serão 100 milhões até o fim do primeiro semestre.

Já no segundo semestre, com transferência de tecnologia, a Fiocruz passa a realizar todo o processo de fabricação em suas dependências, na fábrica de Bio-Manguinhos, na Zona Norte do Rio.