Farmacêutica brasileira solicita liberação emergencial da Sputnik V

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu pedido para liberação emergencial da terceira vacina contra a Cvoid-19 no Brasil. Trata-se da Sputnik V, vacina desenvolvida pelo Instituto Gamaleya, da Rússia.

O pedido foi protocolado nesta sexta-feira (15) pela farmacêutica brasileira União Química em parceria com o Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF). A solicitação é para o uso emergencial de 10 milhões de doses da Sputnik V que serão importadas pela União Química.

Segundo a empresa, a vacina passará a ser produzida nas fábricas do grupo, em Brasília e Guarulhos, mediante acordo para transferência de tecnologia. A União Química também conduzirá testes de fase 3 dos estudos no país, requisito para liberação do uso emergencial. Na Rússia, de acordo com as autoridades do país, a eficácia da Sputnik V foi de 91%. O resultado, porém, não foi publicado em revista científica e não há informações, por exemplo, se o estudo envolveu idosos.

A Anvisa informou que aguarda complementação da documentação para avaliar o pedido. A partir disso, a agência trabalha com um prazo de 10 dias para tomar a decisão. A Sputnik V já foi aprovada em países como a Rússia, Argentina, Bolívia e Argélia.


Siga-nos