Comissão de Biossegurança aprova por unanimidade vacina da Fiocruz e dá aval para Anvisa

A Comissão Técnica Nacional em Biossegurança (CNTBio) aprovou nesta sexta-feira (15) a vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela parceria Oxford/AstraZeneca e que será produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

A aprovação foi unânime entre os 54 integrantes do órgão. O aval da CNTBio, que é vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia, é exigido pela Lei de Biossegurança para o uso de qualquer produto que utilize organismo geneticamente modificado (OGM).

É o caso da vacina de Oxford, desenvolvida com a tecnologia de recombinação de um adenovírus que causa resfriado em chipanzés, mas não em humanos. Uma proteína do coronavírus Sars-cov-2, causador da Covid-19, é adicionada ao adenovírus, para que estimule resposta imune nos vacinados.

Agora, a vacina passará pela avaliação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que decide no próximo domingo (17) se libera o uso emergencial de 2 milhões de doses que serão importadas da Índia.

Vacina do Instituo Butantan

Já a vacina do Instituto Butantan não precisará passar pelo crivo da CTNBio. Isso porque a CoronaVac não utiliza organismo geneticamente modificado, mas sim o próprio coronavírus em uma versão inativada. Dessa forma, o vírus é introduzido no organismo, desperta a resposta imune, mas não gera infecção.


Siga-nos