Com impeachment democratas tentam impedir que Trump concorra a um novo cargo público Os legisladores que foram a favor do impeachment de presidente Donald J. Trump, poucos dias antes de ele deixar a Casa Branca, argumentam que o objetivo não é apenas removê-lo do cargo, mas também impedi-lo de se tornar presidente novamente. 


Trump tornou-se oficialmente o primeiro presidente dos Estados Unidos a ser acusado duas vezes pela Câmara dos Representantes na quarta-feira (13), abrindo caminho para um julgamento no Senado que pode ocorrer após o término de seu mandato.
  
"Ele deve ir", argumentou a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, na quarta-feira. 

"Ele é um perigo claro e presente para a nação que todos amamos."
 
O único artigo de impeachment acusa o presidente Trump de se envolver "em crimes e contravenções ao incitar a violência contra o governo dos Estados Unidos".
 


“Sabemos que vivemos a insurreição que violou a santidade do Capitólio do povo e tentou derrubar a vontade devidamente registrada do povo americano. E sabemos que o Presidente dos Estados Unidos incitou essa insurreição, essa rebelião armada contra nosso país comum ", afirmou Pelosi.

A votação de impeachment ocorreu enquanto as tropas da Guarda Nacional protegiam o Capitólio e a Câmara.
 
Dez republicanos juntaram-se a todos os democratas da Câmara que votaram a favor do impeachment, enquanto a maioria dos republicanos da Câmara argumentou que o impeachment de Trump apenas colocaria lenha na fogueira. 
 


"Uma votação de impeachment dividiria ainda mais esta nação", disse o líder da minoria na Câmara, Kevin McCarthy (R-CA). "Uma votação para impeachment vai atiçar ainda mais as chamas da divisão partidária."
  


A congressista republicana Nancy Mace (R-SC) diz que ambos os lados compartilham a culpa pela agitação em todo o país.
 
Após a histórica votação sobre o impeachment, Trump lançou um vídeo pedindo por não violência, vandalismo ou violação da lei enquanto ele se prepara para deixar o cargo.
 


"Agora, estou pedindo a todos que já acreditaram em nossa agenda, que pensem em maneiras de aliviar as tensões, acalmar os ânimos e ajudar a promover a paz em nosso país", disse Trump no vídeo.

O presidente eleito Joe Biden divulgou uma declaração dizendo que espera que "a liderança do Senado encontre uma maneira de lidar com suas responsabilidades constitucionais no impeachment, enquanto também trabalha no outro assunto urgente desta nação. " 
 
O líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, não se reunirá novamente no Senado até 19 de janeiro, garantindo que um julgamento de impeachment no Senado não começará até as primeiras semanas da presidência de Biden.