Avião parte hoje para a Índia e deve trazer “vacina de Oxford” até sábado, diz ministro da Saúde

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou nesta quarta-feira (13) que vai partir hoje para a Índia um avião que vai buscar dois milhões de doses prontas da vacina de Oxford/AstraZeneca produzidas no país.

Autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) encomendou essas doses iniciais já prontas a fim de adiantar a vacinação no Brasil. O Instituto Serum, da Índia, já está produzindo a vacina, enquanto que a Fiocruz só deve entregar o primeiro lote produzido em suas fábricas na segunda semana de fevereiro.

Dessa forma, de acordo com Pazuello, as 2 milhões de doses da vacina devem chegar já no sábado (16) ao Brasil. "É o tempo de viajar, apanhar e trazer, já está com documento de importação pronto. Então, quando nós tivermos a posição da Anvisa, temos material para distribuir e temos capacidade para vacinar no país todo", afirmou.

A posição da Anvisa será dada no próximo domingo (17), quando a agência vai decidir se libera o uso emergencial dessas doses iniciais da chamada vacina de Oxford, assim como 6 milhões de doses da CoronaVac já importadas da China pelo Instituto Butantan. Se aprovadas, o Ministério da Saúde espera poder iniciar a vacinação contra a Covid-19 em boa parte do território brasileiro no dia 20.

Tanto Fiocruz como Butantan irão produzir as vacinas no Brasil a partir do IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo) que serão enviados pelas respectivas desenvolvedoras – AstraZeneca e Sinovac. Depois, passarão a realizar todo o processo de fabricação no país, incluindo a produção do IFA. Em cada uma dessas etapas será preciso solicitar à Anvisa nova aprovação para uso emergencial ou o registro definitivo.