Secretários estaduais de Saúde também pedem adiamento do Enem

Segue a polêmica sobre a realização do Enem 2020, que tem a primeira prova marcada para o próximo domingo (17). Nesta terça-feira (12) o Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) aprovou uma posição conjunta que pede o adiamento do exame ao ministro da Educação, Milton Ribeiro.

Segundo a carta do Conass, a reunião de estudantes pode aumentar a transmissão do coronavírus:

"Apesar dos jovens terem menor risco de desenvolver formas graves e tampouco estar prevista a vacinação da população com menos de 18 anos, o aumento da circulação do vírus nesta população pode ocasionar um aumento da transmissão nos grupos mais vulneráveis", afirma. O documento é assinado por Carlos Lula, presidente do Conass e secretário de Saúde do Maranhão.

Nésio Fernandes de Medeiros Junior, secretário do Espírito Santo, afirmou em publicação no Twitter que “não é adequado realizar um exame nacional destas proporções num contexto de alta transmissão da doença [Covid-19] e em realidades tão assimétricas no país. Todos os estados possuem regiões de alta transmissão."

Ainda de acordo com Nésio, “cada estado possui protocolos específicos para realização de atividades escolares, o Inep [Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais] deveria ter condições de adaptar-se a essas normas. Não sendo possível, o único caminho é adiar o exame. Estamos na véspera de iniciar a vacinação no país".

A Defensoria Pública da União já havia recebido negativa da Justiça Federal quanto ao pedido para adiamento das provas ainda ontem, mas vai recorrer. Na decisão, no entanto, a Justiça permite que cidades impeçam a realização das provas se julgarem necessário, o que foi o caso de Manaus, capital do Amazonas, que anunciou que não vai liberar suas escolas municipais. em meio a uma explosão de casos de Covid. neste caso, a Justiça determina que haja uma nova data para que os estudantes façam as provas.

O Inep e o Ministério da Saúde seguem defendendo a realização do exame a partir do próximo domingo. Para realizar as provas, os estudantes vão precisar seguir medidas de segurança, como usar máscara e manter distanciamento dentro das salas. Candidatos com sintomas ou diagnóstico de doenças infecciosas, a exemplo da Covid-19, terão uma segunda chance de fazer a prova mediante apresentação de atestado até um dia antes da data oficial.



Veja também:

Morte por Covid-19 de diretor responsável pelo Enem aumenta pressão por adiamento do exame