Cidade do Rio de Janeiro recebe 10 mil testes para Covid

A prefeitura do Rio de Janeiro recebeu hoje (10) um lote com 10 mil testes rápidos de antígeno da covid-19, ainda não usados no estado. Segundo os especialistas da pasta, esse tipo de exame é confiável e mais rápido, podendo fornecer resultados em até 15 minutos após a coleta, sem a necessidade de laboratório. O objetivo é testar inicialmente cerca de 450 mil pessoas já a partir desta semana.

O material, entregue na Central de Logística da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), em Jacarepaguá, foi doado pelo grupo de empresários União Rio. 

Segunda a secretaria, os novos exames compõem a estratégia de testagem do município que será ampliada. Eles serão realizados nas unidades básicas de saúde, seguindo os critérios estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde e pelo Ministério da Saúde. Pessoas com até sete dias do início dos sintomas poderão ser testadas. Profissionais de saúde serão capacitados para a realização.

“Esses testes são fundamentais para interromper a cadeia de transmissão da covid-19. A gente consegue dar o resultado rápido para a população. As pessoas vão poder acessar esse teste por meio de um aplicativo e do canal de atendimento do 1746, onde quem tiver qualquer sintoma de coronavírus pode se autonotificar, colocar a data do início do sintoma, e, a partir daí, uma equipe da Saúde da Família vai entrar em contato e definir se aquele cidadão precisa ou não realizar o teste”, disse o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, que, ao lado do prefeito do Rio, Eduardo Paes, recebeu os testes.

Com a testagem e os casos positivos, Soranz afirmou que será feito um rastreamento de contato, a mais importante iniciativa, segundo ele, para conter a cadeia de transmissão da Covid-19.

Os demais exames continuarão a ser ofertados na rede municipal. A previsão é de que sejam testadas mil pessoas por dia inicialmente, aumentando o total gradativamente.

Vacinação

Soranz destacou que a prefeitura está pronta para iniciar a vacinação contra a Covid-19, provavelmente entre os dias 20 e 25 de janeiro, assim que o Ministério da Saúde divulgar o calendário nacional de imunização.

“A partir deste domingo, começaremos a distribuir seringas e agulhas para as nossas unidades básicas e os centros municipais de Saúde, para que a cidade do Rio não tenha atraso no começo da vacinação logo que as doses cheguem e o calendário seja divulgado pelo Ministério da Saúde”, afirmou o secretário.

Inicialmente, o objetivo é imunizar 2,6 milhões de pessoas nas primeiras quatro etapas do plano de vacinação, a partir do cronograma do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde. A estratégia envolverá 450 pontos de vacinação na cidade, a maioria nas clínicas da Família e centros municipais de saúde, com 10,5 mil profissionais envolvidos.

Segundo a pasta, a tendência é a de que, na primeira fase, deverão ser imunizados trabalhadores da saúde, pessoas a partir de 60 anos, pessoas com comorbidades, professores, indígenas, quilombolas e profissionais das forças de segurança e salvamento e serviços essenciais, além de funcionários do sistema prisional.

Testes RT-PCR

A Secretaria de Estado de Saúde informou que desde o dia 4 de dezembro já realizou 24.419 testes de RT-PCR nas quatro unidades abertas pelo estado a partir de um novo procedimento: o agendamento por meio de um aplicativo para celular.

Os exames são feitos todos os dias da semana das 7h às 19h no Hospital Estadual Alberto Torres e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Colubandê, em São Gonçalo; no Hospital Regional do Médio Paraíba Dra. Zilda Arns, em Volta Redonda e na UPA Campo Grande II, na zona oeste. Os testes devem ser agendados pelo aplicativo Dados do Bem . São ofertados no total 1,5 mil testes por dia divididos para as quatro unidades.

A SES ressaltou que é importante o usuário ficar atento às notificações que chegam no aplicativo e confirmar a presença. Caso não possa comparecer, deve desmarcar o atendimento para que outra pessoa possa ser atendida. Em dezembro, cerca de 47% das pessoas não compareceram ou rejeitaram o agendamento do aplicativo.

O programa é complementar à testagem de RT-PCR, que já vem sendo realizada em unidades municipais de saúde, coordenada pela SES. Desde o início da pandemia foram realizados 406 mil testes.



 



*Agência Brasil