Laboratórios indianos voltam atrás e confirmam exportação de vacina da Covid; Fiocruz diz ter acordo

Os laboratórios indianos Serum e Bharat Biotech divulgaram comunicado em que afirmam que pretendem exportar vacinas contra a Covid-19. Ontem (04), o presidente do Serum tinha dado a entender que o governo da Índia barraria a venda para outros países. No Brasil, Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e clínicas particulares têm interesse.

O Instituto Serum será um dos responsáveis, assim como a Fiocruz, por produzir a vacina da Universidade de Oxford em parceria com o laboratório AstraZeneca. Entretanto, a Fiocruz, que prevê a entrega das primeiras doses apenas para a segunda semana de fevereiro, teve aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária a intenção de exportar 2 milhões de doses prontas do Serum ainda em janeiro, para que pudesse adiantar a vacinação no Brasil.

Nesta segunda, no entanto, o presidente do Instituto Serum, Adar Poonawalla, havia dito que só poderiam “dar (as vacinas) para o governo da Índia no momento”. Porém, na manhã desta terça (05), o Instituto divulgou nota conjunta com o laboratório Bharat Biotech confirmando a intenção de vender doses para outros países:

“Hoje [as duas companhias] comunicam o interesse combinado de desenvolver manufatura e oferecer vacinas contra a Covid-19 para a Índia e globalmente.” – diz um trecho.

Vacinas em clínicas particulares

O laboratório Bharat Biotech desenvolve a Covaxin, outra vacina contra a Covid-19. O imunizante ainda não teve dados de segurança ou eficácia divulgados, mas foi aprovado para uso emergencial na Índia. No Brasil, a vacina está no radar do Ministério da Saúde e da Associação Brasileira das Clínicas de Vacinas (ABCVAC), que pretende comprar 5 milhões de doses para que sejam distribuídas na rede particular a partir de março ou abril.

A medida é polêmica. Enquanto o grupo defende que o aumento da cobertura vacinal será benéfico, outros defendem que todas as doses disponíveis sejam aplicadas pelo poder público, por meio do Programa Nacional de Imunizações, respeitando as fases e os grupos prioritários.

Veja também:

Clínicas particulares negociam compra de 5 milhões de doses de vacina contra a Covid-19


Siga-nos