Melasma: veja como prevenir e tratar essas manchas escuras que se agravam no verão 

É no verão que as pessoas com melasma sofrem ainda mais com a piora das manchas. Para orientar sobre como prevenir, controlar e tratar o melasma, a doutora Simone Stringhini dá algumas dicas de cuidados essenciais. Ela é médica dermatologista, membro efetiva da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) desde 1994; membro efetiva da Academia Americana de Dermatologia (AAD) desde 2010; membro efetiva da IMCAS Academy (Aesthetics Surgery & Cosmetic Dermatology - European) desde 2018; referência em Diagnóstico e Tratamentos Dermatológicos Estéticos há 20 anos; e uma das primeiras a fazer a aplicação de peeling no país.

Comum principalmente entre as mulheres, cerca de 90% dos casos, segundo artigo científico do The Journal of Dermatology, o melasma são manchas escuras que podem aparecer com maior frequência na testa, bochechas, buço e dorso do nariz. Segundo a dermatologista com mais de 30 anos de experiência, os três principais fatores desencadeadores do melasma são: sol, calor e hormônios. Por isso, o verão é a estação em que os sintomas se agravam.

Mulheres grávidas apresentam maiores chances de desenvolver o melasma em decorrência do fator hormonal, que causa o aumento na dilatação dos vasos sanguíneos, contribuindo para o aparecimento das manchas. Além disso, pessoas de pele morena e negra, além de asiáticos e latinos, também têm maior predisposição ao aparecimento do melasma.

Doutora, mesmo sendo um problema crônico, o melasma pode ser atenuado? Quais os cuidados específicos?

Dra. Simone Stringhini
: É importante tentar manter a temperatura, principalmente do rosto, mais amena para evitar o melasma. Por isso, durante o verão eu indico usar água termal no rosto e levar na bolsa quando for sair. Pode deixar a água termal na geladeira e pegar antes de sair para conservar a baixa temperatura.

Questões relacionadas ao emocional também podem desencadear o melasma?

O sistema nervoso e a pele têm a mesma origem embrionária e, portanto, muitos problemas de pele sofrem influência do nosso estado emocional. Com o estresse há o aumento do cortisol no organismo e ele atua diretamente na Tirosinase, que é a enzima que regula a produção da melanina. Portanto, esse estado de estresse irá piorar as manchas. Durante a pandemia houve um aumento nas queixas de melasma, ligado a fatores decorrentes do sistema nervoso.

De que forma a escolha do protetor solar influencia na melhora do melasma?

É essencial a utilização de filtro solar com FPS alto, acima de 50 e com cor, para quem tem melasma. O ideal são aqueles protetores solares bem grossos para cobrir e aderir bem na pele, criando uma barreira mais reforçada de proteção e também recomendo o uso de filtro solar com cor, como uma espécie de base de maquiagem.

Quem tem melasma não pode ficar com a pele exposta ao sol, principalmente na área do rosto, pois o sol é um dos principais fatores que desencadeiam o melasma. Por isso, o uso do protetor solar tem que ser um hábito diário.

Mesmo as luzes artificiais são um risco para o melasma. Qualquer forma de radiação pode estimular o aparecimento das manchas escuras. Então, mesmo no inverno e dentro de casa a recomendação de usar protetor solar se mantém.

O uso de chapéu ou boné para ir à praia ou fazer atividades ao ar livre também é indicado?

A recomendação segue o motivo da dica anterior, por isso quem tem melasma tem que sempre utilizar chapéu ou boné quando for fazer atividades ao ar livre, principalmente durante o verão.

Outra dica que pode ajudar na prevenção é o uso de camisas de manga longa com proteção solar. Pois, mesmo que a incidência seja maior no rosto, qualquer parte do corpo que estiver exposta ao sol pode desencadear o melasma.

As pílulas anticoncepcionais podem agravar o melasma?

Os anticoncepcionais podem causar piora no melasma, isso porque eles acabam por dilatar os vasos sanguíneos.

Quando a mulher toma a pílula anticoncepcional, ela ingere certa quantidade de hormônios e o corpo reage a eles de maneira similar ao período de gravidez, onde são produzidos muitos hormônios. Portanto, assim como na gravidez, o organismo acaba por aumentar os vasos sanguíneos e isso faz com que o melasma piore.

Durante a gravidez a probabilidade de piora é maior, pois a quantidade de hormônios no corpo é muito grande, mas a pílula também pode despertar o melasma.

Quais os melhores tratamentos para o melasma?

O dermatologista é quem irá diagnosticar o melasma e indicar o melhor tratamento, por isso é importante estar em dia com o check up no dermatologista para identificar precocemente possíveis doenças como o melasma.

São três os tipos de tratamentos possíveis para o melasma: uso de medicamentos tópicos, como cremes clareadores; uso de medicamentos orais ou tratamentos dermatológicos avançados, realizados em consultório.

Geralmente, os dermatologistas começam a tratar o melasma com os cremes clareadores e, se necessário, fazem a associação com medicamentos orais. O protocolo mais comum é a chamada tríplice, que consiste em três ativos combinados: a Hidroquinona, associada a um ácido retinoico e um corticóide. Mas a Hidroquinona não é um tratamento a longo prazo pois, esse ativo não pode ser utilizado por mais de quatro meses consecutivos e também não é recomendado o uso no verão, portanto, nessa época do ano, os profissionais costumam substituir o clareador por outro mais suave.

No caso do uso da Hidroquinona é importante fazer a substituição por outro clareador pois, se for feita apenas a interrupção do tratamento com a Hidroquinona, provavelmente ocorrerá o efeito rebote, voltando o melasma com mais intensidade.

Em casos de melasma mais persistente, tratamentos em consultório também podem ser utilizados, como: peeling, o microagulhamento (IPCA) e os lasers, que podem ser tanto focados nos vasos sanguíneos, como específicos para clareamento, atuando no controle do excesso de melanina que é uma das causas do melasma. Mas a indicação irá depender do caso e conforme a avaliação do dermatologista.