Publicidade

“Não recuaremos”, diz Damares sobre ameaça terrorista A ministra Damares Alves se pronunciou Após tomar conhecimento de uma entrevista da revista Veja com um líder terrorista, que disse ter planos para matar a família Bolsonaro e ministros do atual do governo.

“Esta cristã evangelizadora, pastora, evangélica, ministra de Estado e este presidente da República, que foi levantado por Deus para libertar nossa nação, não irão parar. Não irão nos intimidar”, disse Damares sobre as ameaças.

Há seis meses a Polícia Federal caça os integrantes de um grupo terrorista que já praticou, pelo menos, três atentados a bomba em Brasília. E anuncia como seu objetivo mais audacioso matar o presidente da República.

Nas duas últimas semanas, VEJA entrevistou um dos líderes da Sociedade Secreta Silvestre (SSS), que se apresenta como braço brasileiro do Individualistas que Tendem ao Selvagem (ITS), uma organização internacional que se diz ecoextremista e é investigada por promover ataques a políticos e empresários em vários países.

O terrorista identifica-se como “Anhangá”. Por orientação do grupo, o contato foi feito pela deep web, uma espécie de área clandestina da internet que, irrastreável, é utilizada como meio de comunicação por criminosos de várias modalidades.

Sobre as ameaças à Damares, o terrorista respondeu à Veja:

“Pelo símbolo que ela se tornou, a cristã branca evangelizadora que prega o progresso e condena toda a ancestralidade. Outro motivo é que o eco-extremismo é extremamente incompatível com o que prega o seu ministério, é um choque filosófico”.

Damares enfatiza que, apesar da perseguição religiosa, não recuará de suas ações em favor do Brasil.

Em Washington, a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos disse que o governo brasileiro está “particularmente apreensivo” com a perseguição contra cristãos em diferentes partes do mundo.

“Não dá mais para admitir a perseguição e morte de tantos cristãos no mundo”, disse a ministra, em discurso de quatro minutos durante encontro sobre avanço da liberdade religiosa, realizado pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos.