Justiça autoriza Crivella a ir ao sepultamento da mãe O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, autorizou o prefeito afastado do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), a ir ao velório e ao enterro da mãe, Eris Bezerra Crivella. O ministro do STJ determinou que Crivella seja acompanhado por escolta, como estabelece a Lei de Execuções Penais.

De acordo com a decisão, Marcelo Crivella está autorizado a deixar a casa em que mora às 6h de quarta-feira (30) e deverá retornar até às 18h do mesmo dia. Segundo a defesa do prefeito afastado, o período será suficiente para ir e voltar do município de Simão Pereira, em Minas Gerais, para acompanhar a cerimônia. 

Para o ministro do STJ, a autorização se dá pelo cumprimento do artigo 120 da Lei de Execuções Penais (Lei 7.210/84), que permite que presos provisórios saiam para comparecer ao velório de familiares. 

"Defiro o pedido a fim de que o paciente, Marcelo Bezerra Crivella, compareça ao velório e sepultamento de sua genitora, dona Eris Bezerra Crivella, no dia 30/12/2020, das 6h às 18h, mediante escolta. Após as 18h do dia 30/12/2020, o paciente retornará imediatamente à prisão domiciliar, comunicando-se a esta Presidência o seu recolhimento", decidiu o ministro.

Eris Bezerra Crivella tinha 85 e morreu na madrugada de segunda (28) em seu apartamento em Copacabana, na zona sul do Rio. Ainda não se sabe a causa da morte. Ela era irmã do bispo Edir Macedo e Crivella era seu único filho. Dona Eris era viúva há quase 30 anos.