Prefeitura do Rio pede que população fique em casa no réveillon e anuncia pacote de medidas A Prefeitura do Rio de Janeiro anunciou nesta segunda-feira (28) medidas para restringir o acesso à orla, do Leme ao Recreio, no réveillon. O objetivo é evitar aglomerações na virada do ano e conter a propagação do novo coronavírus. A recomendação à população é para que fique em casa no dia 31. Gestores de órgãos públicos fizeram um apelo para que cada pessoa tenha consciência de sua própria responsabilidade no combate à covid-19.

Entre as restrições, publicadas em decreto no Diário Oficial, estão a proibição de queima de fogos, inclusive por hotéis; a implantação de bloqueios viários; e a suspensão de circulação do transporte público nos acessos à orla, a partir das 20h da véspera de ano novo. Quiosques não poderão vender ingressos para shows, fazer festas com música nem cercar áreas para eventos.

“É necessário que neste dia 31 todos fiquem em casa. O plano e o decreto são uma ferramenta para mitigar aglomerações e comemorações. Precisamos enfrentar essa situação juntos, e isso não depende só do poder público, mas muito mais da consciência e da atitude de cada um de nós. Deixem para comemorar ano que vem, com vacinas e leitos disponíveis. Falta pouco para sairmos desta situação. Façam uma virada consciente, respeitem a vida. Estamos em uma pandemia, algo jamais visto em nossa geração. O prejuízo é perder vidas. Tudo pode ser reconstruído, menos a vida”, afirmou o chefe executivo do Centro de Operações Rio (COR), Alexandre Cardeman.

Principais medidas


• Proibição de queima de fogos em toda a extensão da orla da cidade, inclusive pela rede hoteleira, a partir da zero hora de 30 de dezembro até as 7h de 1º de janeiro.


• Proibição de festas privadas, shows ou qualquer evento ao longo da orla pelos quiosques, na areia ou no calçadão, incluindo colocação de grades.


• Proibição da entrada na cidade de ônibus, micro-ônibus e vans de fretamento, a partir do primeiro minuto de 30 dezembro até 6h de 1º de janeiro.


• Estabelecimento de bloqueios nos acessos viários à orla do Rio de Janeiro, inclusive de veículos de entrega e de carga e descarga, a partir das 20h de 31 de dezembro até as 3h de 1º de janeiro.


• Moradores dos bairros e hóspedes de hotéis poderão entrar com seus carros ou em táxis, mas para isso deverão apresentar comprovantes de residência ou mostrar reserva, voucher ou carta de confirmação emitida pelo hotel em papel timbrado.


• Empregados de estabelecimentos nas áreas bloqueadas deverão apresentar crachá, carteira de trabalho ou carta de comprovação de trabalho com timbre da empresa empregadora para também passarem de carro ou de táxi nos pontos de bloqueio.


• Proibição de circulação de transporte público coletivo nos acessos à orla a partir das 20h de 31 de dezembro até 3h de 1º de janeiro.


• Proibição de estacionamento de veículos em toda a extensão da orla em 31 de dezembro. Essa vedação não se aplica a veículos de moradores ou de quem esteja hospedado nos hotéis da orla. Também haverá restrições em áreas do entorno, como Urca e Lagoa Rodrigo de Freitas, que serão regulamentadas pela SMTR e pela CET-Rio.


• Proibição da permanência de barraqueiros em pontos fixos da areia, na praia ou no calçadão, a partir do primeiro minuto de 31 de dezembro até 6h de 1º de janeiro.

Eventos privados com restrições

O superintendente de Educação da Vigilância Sanitária do Município do Rio de Janeiro, Flávio Graça, explicou que estabelecimentos que já possuem alvará para a realização de eventos privados poderão realizá-los, desde que obedecidas as Regras de Ouro. Não serão emitidos alvarás transitórios para outros estabelecimentos que desejem fazê-lo:

“Estarão permitidos eventos apenas nos estabelecimentos que já possuem essa atividade prevista no seu alvará, como casas de shows, hotéis e boates. Os que não possuem essa atividade prevista precisariam pedir uma licença de caráter transitório, e ela não será liberada até as 6h de 1º de janeiro”, explicou Graça.

O superintendente da Vigilância Sanitária alertou que os estabelecimentos que descumprirem as determinações estarão sujeitos a multas de cerca de R$ 15 mil, que podem ser cumulativas, a depender do número de infrações cometidas.

Órgãos municipais e estaduais em ação juntos

Participarão da execução do plano anunciado nesta segunda-feira os seguintes órgãos municipais: Centro de Operações Rio (COR), Riotur, Secretaria Municipal de Fazenda, Vigilância Sanitária, CET-Rio, Secretaria Municipal de Transportes, Secretária Municipal de Eventos, Comlurb, Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop)/Guarda Municipal, em parceria com Polícia Militar, Detro e Polícia Rodoviária Federal.

Siga-nos