Casal de imigrantes deixa porão de igreja após mais de 800 dias refugiado Um casal jamaicano permaneceu durante 843 dias nos porões de uma igreja na Filadélfia, Pensilvânia, EUA, para fugir dos agentes do Departamento de Imigração e Alfândega (ICE, sigla em inglês). Eles só conseguiram deixar o prédio na segunda-feira, dia 21, depois que o governo retirou o processo de deportação.

“Quando recebemos a carta do ICE, eu fiquei apenas olhando para ela, em estado de choque. É um grande avanço. Depois de tanto tempo, isso é um milagre”, disse Clive Thompson, em um comunicado.

De acordo com a CBS Philadelphia, Clive, 61, e Oneita Thompson, 48, fugiram da Jamaica em 2004, quando uma gangue queimou sua fazenda e ameaçou matá-los. A família perdeu seu processo de asilo, mas foi autorizada a ficar. Três de seus sete filhos se tornaram cidadãos dos Estados Unidos e os outros quatro são residentes legais.

No entanto, as regras de imigração foram alteradas pelo governo atual e, então, eles, junto com seus dois filhos mais novos, deixaram sua casa no sul de New Jersey, em agosto de 2018, e se abrigaram na First United Methodist Church, em Germantown, até setembro de 2020, quando se mudaram para a Igreja Tabernacle United, no oeste da Filadélfia.

De acordo com o Inquirer, não ficou claro porque o governo Trump desistiu de seu caso contra os Thompsons.

Estima-se que 40 imigrantes, em 16 estados, estão atualmente abrigados em igrejas nos Estados Unidos. Estes locais são considerados “sensíveis” e os agentes do ICE não podem agir.