Professora apoiadora do PT é afastada após gravar áudio desejando a morte de crianças e idosos

O áudio em que a professora Monique Emer diz que “da direita, quanto mais pessoas morrerem de covid, melhor” causou grande revolta nas redes sociais. Por conta da grande repercussão, a professora foi afastada de suas funções na Escola Municipal Guerino Zugno, em Caxias do Sul (RS).

No áudio, ela comentava a derrota de Pepe Vargas, candidato do PT à prefeitura da cidade. A fala foi publicada nas redes sociais. Dois dias depois, no sábado (12), Monique foi afastada do cargo pela Justiça.

Durante a gravação, a educadora também deseja a morte de conservadores.

“[Que morram] de aids, câncer fulminante, para mim, melhor é. Já que a gente não pode fuzilar, então que vão na praça fazer bandeiraço [sic] e, se Deus quiser, morram tudo de covid. Adultos, mulheres, idosos e crianças, não vale um, não se salva um”, declarou Monique.

Num trecho do áudio, a professora destilou mais ódio contra os idosos.

“Quando começou o covid [sic] eu pensei: lindo, maravilhoso, vai morrer um monte de velhos. Velhos são machistas, racistas, reacionários, conservadores, e o PT vai se reeleger. Eu acho ótimo porque eu não tenho nenhuma afinidade com velho, não tenho saco pra gente velha”, disse. Monique ainda ironiza as mortes por covid-19. “A partir do momento em que você não consegue se atualizar para viver neste mundo, de fato você é um peso na Terra e deveria estar morto. Sempre são uns caras moralistas, conservadores, escrotos. Então vai ser bom, vai agilizar, porque eu estou achando que poucos estão morrendo”, registrou.

Numa publicação no Facebook, Monique acrescenta que é preciso “canalizar a revolta incendiária de estudantes”. Além disso, afirma que os colegas de profissão têm capacidade para “potencializar isso”.

Nas redes, internautas criaram um abaixo-assinado solicitando a exoneração de Monique. “Esta pessoa deixa claro que prega esta ideologia de ódio para seus alunos, fazendo lavagem cerebral em nossos filhos. Após este fato, inúmeros relatos com provas vieram à tona mostrando a falta de caráter e até perfil psicológico para estar dentro das salas de aula. Com base nestes fatos, precisamos recolher o máximo de assinaturas pedindo a exoneração desta pessoa”, informa o documento, já assinado por 11,2 mil pessoas.

Com a punição, ela também não poderá manter contato com nenhum colega de trabalho, alunos ou pais de estudantes da Escola Municipal Guerino Zugno.

“A Equipe Diretiva e a Coordenação Pedagógica da EMEF Guerino Zugno informam que por determinação da Procuradoria Geral do Município a professora Monique Varela Emer está afastada de suas funções como docente da rede municipal de Caxias do Sul e consequentemente de suas atividades em nossa escola. A professora não deve manter contato com nenhum colega, seja professor ou funcionário, ou com pais e alunos da comunidade escolar da Escola Guerino Zugno”, informou a instituição de ensino.