Advogado é preso em operação que investiga corrupção na Saúde do RJ na gestão Witzel

O advogado Wagner Bragança foi preso pela Polícia Federal (PF) na manhã desta terça-feira (15), suspeito de participar de esquema de corrupção e desvio de recursos públicos na Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro. Ele é vice-presidente de uma Comissão da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro (OAB/RJ).

A Operação Kickback cumpre hoje 10 mandados de busca e apreensão e 2 de prisão preventiva. Os crimes investigados teriam ocorrido enquanto o governador afastado Wilson Witzel ainda estava no cargo e podem ter gerado prejuízo de R$ 50 milhões aos cofres públicos.

A investigação da PF apontou que uma Organização Social (OS) que atua na área da saúde do Rio e de Juiz de Fora/MG teria pago cerca de R$ 50 milhões a um escritório de advocacia, que teria repassado R$ 22 milhões ao operador financeiro do esquema identificado pelas operações Placebo e Tris in Idem, que culminaram no afastamento de Wilson Witzel e na abertura de processo de impeachment contra o governador.