Deputada argentina desabafa contra o aborto: “me dói que estamos perdendo o valor da vida

A deputada argentina Beatriz Ávila desabafou na quinta-feira (10) em sua intervenção no debate que precedeu a aprovação da legalização do aborto pela Câmara dos Deputados da Argentina. “Me dói que estamos perdendo o valor da vida”, lamentou a parlamentar.

A deputada falou por alguns minutos durante as discussões e denunciou que “o aborto está se convertendo em um genocídio moderno”. Ávila continuou seu argumento e lembrou que o feto não é apenas um “fenômeno”, mas uma “pequena pessoa”:

“O ser indefeso, o que está dentro do ventre da mãe, não é um fenômeno, é uma pequena pessoa absolutamente indefesa. É diferente da mãe, é diferente do pai, tem seu próprio DNA. O filho não é propriedade da mãe, não é propriedade do pai, é uma vida totalmente diferente”.

A deputada foi um dos 127 parlamentares que votaram contra a legalização do aborto na Argentina. Na conclusão de sua fala, ela defendeu que o aborto é um ato de violência também contra a mulher:

“O aborto é um ato de violência não só contra a criança que está por nascer, mas também contra a mulher. Uma mulher que passa por um aborto, é uma dor irreparável, incomparável, é algo que fica para toda a vida.”

Reação

A Câmara dos Deputados da Argentina aprovou nesta sexta-feira (11) um projeto de lei, apoiado pelo presidente Alberto Fernández, que prevê a interrupção voluntária legal da gravidez até a 14ª semana. Católicos e evangélicos lideram a ofensiva contra a medida, que ainda passará pelo Senado, por considerarem que a vida começa na concepção.