Porta-voz da PM do Rio é exonerada após chamar jornalista de O Globo de mentiroso

A tenente-coronel Gabryela Dantas foi exonerada pelo governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), do cargo de porta-voz da Polícia Militar. Mas no fim da noite desta quarta-feira (09), o Boletim da PM publicou que ela assumirá o comando do 23º BPM (Leblon).

Na noite de ontem, Gabryela apareceu em um vídeo divulgado nos canais da PM nas redes sociais, desmentindo uma matéria publicada pelo jornalista Rafael Soares nos jornais Extra e O Globo.

Os comentários dela foram feitos depois da publicação de uma matéria sobre o aumento do consumo de munição por policiais no batalhão investigado pelas mortes das meninas Emilly e Rebeca, no último sábado (05). A porta-voz da corporação qualificou o texto como "covarde e inescrupuloso".

No vídeo, Gabryela acusa o jornalista de se aproveitar de uma comoção nacional para colocar a população contra a Polícia Militar. Segundo ela, o jornalista foi atendido pela equipe da PM com dados corretos, mas memo assim publicou uma matéria com dados inverídicos. Gabryela questiona: “A quem interessa essa desconstrução de Estado soberano, promovendo dúvidas e inversão de valores?”.

Entidades de classe e órgãos que atuam em defesa da liberdade de expressão criticaram o fato de a agente se expressar contra o que considerou um ataque tendencioso à corporação. Os jornais Extra e O Globo também se manifestaram.

Castro tomou a decisão na tarde de hoje (09), depois de conversar por telefone com o comandante do batalhão investigado com o secretário de Polícia Militar, José Rogério Figueredo, que oficializará a saída.

O governador também exigiu a exclusão do conteúdo das redes sociais. Até ser excluído, o vídeo já havia sido compartilhado mais de mil vezes e contava com mais de 3,4 mil curtidas.