Publicidade

Ex-noivo de jovem que cometeu suicídio se diz Orlando Costa Junior, ex- noivo da jovem Alinne Araújo, que cometeu suicídio esta semana no Recreio dos Bandeirantes, resolveu se pronunciar sobre a morte dela. O rapaz, que havia terminado o noivado com Alinne às vésperas do casamento, disse que “não existe mais” e “está acabado”.

Alinne Araújo, de 24 anos, fez sucesso nas redes sociais neste fim de semana, após decidir se casar sozinha por ter sido abandonada pelo noivo. Ativa nas redes sociais, as imagens que publicou do casamento solitário também foram duramente criticadas. Após a enxurrada de comentários negativos, Alinne se jogou do nono andar do prédio onde morava na Avenida Salvador Allende, no Recreio.

"Vocês sabem a dor de confiar em alguém cegamente e achar que encontrou o companheiro da vida e um dia antes da celebração do amor de vocês a pessoa some? Manda uma mensagem pelo WhastApp e termina todos os sonhos de vocês", contou ela em uma publicação feita na madrugada do último domingo (13).

Amigos dizem que o rapaz teria terminado o noivado porque já não aguentava mais as crises de depressão da moça, e que ele é quem pagava todas as contas de Alinne, inclusive teria presenteado a jovem com um carro zero.

Orlando, que é empresário, decidiu abandonar a web depois de sofrer retaliação de internautas por conta da morte da jovem.

Apesar da instabilidade emocional, assunto que Alinne falava com frequência em suas redes sociais, um dos sonhos da estudante de psicologia, de 24 anos, era cuidar de pessoas que sofrem com o mesmo problema.

"Ela era uma pessoa incrível. Cheia de luz, divertida. Sonhava em terminar a faculdade, ter seu casamento perfeito e cuidar de pessoas como ela”, disse Dayana, que também seria madrinha do casamento cancelado dias antes da morte da blogueira.

Nas aulas de teatro, que praticava em uma escola na Barra da Tijuca, também na zona oeste, Alinne expressava o mesmo desejo.

Em uma rede social, uma colega de turma relatou:

"Ela sempre falava que tinha uma missão de ajudar as pessoas e queria ser uma vencedora, superar a depressão para ajudar [quem precisasse].”