Fluminense vai acolher 13 menores que eram mantidos em cárcere privado por homem em Xerém

O Fluminense FC decidiu acolher os 13 menores que eram mantidos em cárcere privado em um sítio em Xerém, distrito da cidade de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Os garotos, que vieram de Alagoas, Paraná, Amazonas e Paraíba, estavam sob responsabilidade de Jorge Valnei dos Santos, que foi preso em flagrante e responde por supressão de documentos, cárcere privado e estelionato.

Jorge recebia uma mensalidade dos pais dos meninos no valor de R$ 500, em troca da promessa de que seriam preparados para jogar em clubes de futebol do Rio. Entretanto, segundo a Polícia Civil, o imóvel não possuía estrutura adequada para moradia e os menores não tinham acompanhamento profissional:

“Eles não têm autorização de órgão público nenhum, não tem médico, não tem fisioterapeuta, não tem nada que justifique a mantença dos menores nas circunstâncias que eles se encontram aqui” – disse o delegado Roberto Gomes, titular da 61ª Delegacia de Polícia de Xerém.

Os garotos ficavam trancados dentro casa enquanto não estavam treinando no único campo do sítio. “Se acontecesse alguma coisa aqui dentro, eles não teriam para onde correr. Então, eles eram mantidos aqui sim, em cárcere"- completou o delegado.

Fluminense abre as portas

Diante das informações, o Fluminense, que possui um famoso centro de treinamentos e alojamento em Xerém, o CT Vale das Laranjeiras, decidiu que vai entrar em contato com as famílias dos garotos para oferecer a eles as instalações do clube.

Após acertar os trâmites burocráticos, os meninos vão passar por testes de Covid-19 e vão poder se alojar e passar por testes no time de base do tricolor. Eles devem seguir em Xerém até o fim de janeiro.