Dória diz que recebeu ligação de Paes para pedir CoronaVac. Prefeito eleito do Rio nega

Após anunciar o plano de vacinação estadual de São Paulo, o governador João Dória (PSDB) afirmou que Eduardo Paes (DEM) o telefonou para solicitar algumas doses da CoronaVac, que seriam aplicadas em profissionais de saúde do Rio de Janeiro. O prefeito eleito, no entanto, negou o contato e informou que aguarda o governo federal.

A fala de Dória foi feita no contexto do anúncio de que brasileiros de outros estados que estiverem em São Paulo poderão receber a vacina da chinesa SinoVac, em parceria com o Instituto Butantan, além das 4 milhões de doses que serão negociadas com outros estados brasileiros.

Segundo o governador de São Paulo, a nova prefeitura do Rio não gostaria de esperar até março pelo plano nacional de vacinação e gostaria de adiantar algumas doses:

“Eduardo Paes me telefonou hoje pela manhã dizendo que o Rio de Janeiro não vai ficar aguardando o programa para março, e desejará vacinar o mais breve possível, começando pelos profissionais de saúde da cidade do Rio de Janeiro. Dezenas de outros prefeitos (estão interessados na vacina), não apenas de estados vizinhos, mas também de estados mais remotos do país.”

Porém, em nota, o prefeito eleito do Rio de Janeiro reafirmou que a cidade vai aguardar a compra e as regras do Programa Nacional de vacinação contra a Covid-19:

“A Prefeitura do Rio, durante toda a minha gestão, sempre seguiu as regras definidas pelo Programa Nacional de imunizações e assim será em relação à vacina de combate ao coronavírus. Os insumos estratégicos no Sistema Único de Saúde são de responsabilidade do governo federal, o que aumenta muito o poder de compra do Estado brasileiro, reduzindo custos para o Sistema Único de Saúde.

A partir de 1º de janeiro estaremos juntos ao Ministério da Saúde acompanhando todo o planejamento e organizando a rede municipal para garantir que a vacinação seja realizada de forma organizada e no menor tempo possível para a população”.