MEC adia para 1º de março volta às aulas presenciais nas universidades federais

O Ministério da Educação (MEC) mudou, de 4 de janeiro para 1º de março, o início das aulas presenciais nas instituições federais de ensino superior. A nova data foi definida em portaria publicada na edição extra do Diário Oficial da União, nessa segunda-feira (7).  

O documento recomenda que, para a realização das aulas presenciais, as instituições deverão observar os protocolos de biossegurança para o enfrentamento da pandemia da covid-19.

A portaria anterior, publicada no Diário Oficial no dia 2 de janeiro, que determinava a retomada das aulas em janeiro, não foi revogada, mas alterada no trecho que trata do início das aulas presenciais.

O texto da nova portaria diz, ainda, que "os recursos educacionais digitais, tecnologias de informação e comunicação ou outros meios convencionais poderão ser utilizados em caráter excepcional, para integralização da carga horária das atividades pedagógicas", no cumprimento das medidas para enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

Medida polêmica

A medida é polêmica e enfrenta resistência de reitores de algumas unidades federais. Denise Pires de Carvalho, reitora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), informou que está preparando um documento em resposta ao Ministério Público Federal (MPF), que enviou à UFRJ, na manhã desta segunda, recomendações para o retorno.

Segundo Denise, a resposta será semelhante à nota publicada no último dia 02 de dezembro, quando a reitora disse que a UFRJ “seguirá, com muita seriedade e responsabilidade, protegendo a vida da comunidade universitária e não deixará de cumprir, com autonomia, a sua missão institucional” e que permanecerá em vigor uma resolução de junho que implementa o ensino remoto na unidade durante a pandemia.



*com informações da Agência Brasil