Rio de Janeiro terá a maior fábrica de vacinas da América Latina

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, acompanhou a entrega da escritura do terreno onde será construído o Complexo Industrial de Biotecnologia em Saúde (CIBS) da Fiocruz, no Distrito Industrial de Santa Cruz, zona oeste do Rio de Janeiro, nesta quinta-feira (3). A agenda foi cumprida junto com o governador em exercício do estado do Rio de Janeiro, Cláudio Castro.

Com investimento na ordem de R$ 3,4 bilhões, o empreendimento será o maior centro de produção de produtos biológicos da América Latina, e deve aumentar em até quatro vezes a capacidade brasileira de produção de vacinas e biofármacos.

Segundo Pazuello, o Complexo representa um importante reforço para o Programa Nacional de Imunização (PNI). “Estamos vendo nascer o maior centro de produtos biológicos da América Latina. O Brasil terá mais um grande centro estratégico para reforçar o PNI e garantir que mais vacinas cheguem a todos”, comemorou.

FUTURO

O Complexo Industrial de Biotecnologia em Saúde, que abrange uma área de aproximadamente 580 mil m², terá capacidade estimada de produção de 120 milhões de frascos de vacinas e biofármacos por ano.

Para o ministro da Saúde, o acréscimo na capacidade de produção brasileira é um importante passo para o futuro. “Este investimento também é um ato preventivo e de responsabilidade. Vamos construir uma melhor resposta para futuras epidemias. O dia de hoje é um marco para a saúde pública do Brasil”, afirmou Pazuello.

COMPLEXO 

O complexo será constituído inicialmente por nove prédios, englobando processamento final, embalagem, armazém de matéria-prima, armazém de produto acabado, controle e garantia da qualidade, utilidades em geral, e centrais de tratamento de resíduos e efluentes.

A nova planta poderá viabilizar a produção de novas vacinas, como a dupla viral (sarampo e rubéola) e a meningocócica C, que se encontra em estágio avançado de estudos de fases II/III, além de novas apresentações de vacinas do portfólio do Instituto (número de doses/frasco) para atender a diferentes necessidades do SUS.

A cerimônia contou também com a presença da presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, do Secretário de Estado da Saúde do Rio de Janeiro, Carlos Alberto Chaves, do Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais, Nelson Furtado, e do Presidente da Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro, Fábio Galvão,