Fátima Bernardes revela câncer no útero. Instituto aponta importância dos exames de rotina

A jornalista e apresentadora, Fátima Bernardes, de 58 anos, anunciou nesta quarta-feira (02) que exames de rotina apontaram um câncer de útero, ainda em estágio inicial. Segundo entidades especialistas em oncologia, o diagnóstico precoce, por meio de exames periódicos, é fundamental para o tratamento.

"Estou bem. Depois de uma série de exames de rotina, hoje recebi o diagnóstico de um câncer de útero em estágio inicial. Vou me afastar por uns dias do trabalho para fazer a cirurgia. Como sempre usei minhas redes com total franqueza e verdade, preferi eu mesma passar essa informação para todos que me acompanham" – revelou Fátima.

Nas redes sociais, amigos e famosos desejaram boa recuperação à apresentadora durante o tratamento. Seu namorado, o deputado federal Túlio Gadêlha (PDT-PE), escreveu em uma publicação: "Você é mais forte do que pensa. Tudo será mais fácil do que imagina. Estamos juntos nessa, meu amor".

Exames e rastreio são fundamentais

De acordo com o Instituto Oncoguia, “assim como o câncer, qualquer doença detectada no início é mais fácil de ser tratada e traz menos traumas ao paciente.” O instituto lembra que as mulheres precisam estar atentas aos exames que detectam de maneira precoce o câncer de colo de útero, câncer de mama, câncer de pele, hipertensão, entre outras enfermidades.

“Submeter-se a testes de rastreamento no momento certo é o que de mais importante você pode fazer por sua saúde. Exames de rastreamento podem detectar câncer, diabetes e outras doenças mais cedo, quando são mais fáceis de tratar. Os testes geralmente dependem da idade da mulher.” – informa o Oncoguia.

No caso do câncer cervical, que inclui a região do útero e o canal vaginal, o rastreamento deve começar a partir dos 21 anos, explica o Oncoguia:

“O Papanicolaou é o exame usado para detectar este tipo de câncer. No consultório ou em um laboratório, o médico coletará uma amostra da superfície da região cervical. Essa amostra será examinada em laboratório, para detecção de células pré-cancerosas. O rastreamento deve começar aos 21 anos. Ele é muito eficaz tanto para prevenir o câncer quanto para diagnosticá-lo cedo.”