Sérgio Moro se defende após assumir cargo em consultoria que faz administração judicial da Odebrecht

O ex-juiz e ministro da Justiça, Sergio Moro, se defendeu ontem (30) após ser criticado por assumir cargo de diretor em uma consultoria. A Alvarez & Marsal, dos Estados Unidos, é o escritório responsável pela administração judicial da Odebrecht, empresa ligada aos escândalos de corrupção investigados pela Operação Lava Jato, no âmbito da qual Moro ficou famoso como juiz.

Em publicação em sua rede social, Moro negou afirmou que não trabalharia “em casos de potencial conflito de interesses”:

“Ingresso nos quadros da renomada empresa de consultoria internacional Alvarez&Marsal para ajudar as empresas a fazer coisa certa, com políticas de integridade e anticorrupção. Não é advocacia, nem atuarei em casos de potencial conflito de interesses.”

A contratação foi criticada tanto por apoiadores da Operação Lava Jato, quanto por desafetos do ex-juiz e por pessoas de dentro da Odebrecht. Um dos advogados da empresa, que está em recuperação judicial após os impactos do escândalo em que se envolveu, teria dito que se Moro não ficasse longe do processo de recuperação seria “inadmissível”.

Já alguns especialistas da área apontam que a Alvarez & Marsal não é uma consultora da Odebrecht, mas uma empresa escolhida pelo juiz do processo para, inclusive, fiscalizar a Odebrecht e seus executivos.